Estudo: Facebook ajuda a melhorar a capacidade cognitiva de idosos

Por Redação | 25.02.2013 às 15:30

O Facebook pode ajudar idosos a ampliarem suas capacidades cognitivas e motoras, com base nos resultados preliminares de uma pesquisa conduzida pela Universidade do Arizona, Estados Unidos. O estudo, divulgado durante uma conferência anual de neuropsicologia, mostra que a capacidade de aprender coisas novas em sites como o Facebook pode ser muito útil para a saúde de pessoas que já passaram dos 65 anos de idade. As informações são do News.au.

A pesquisa foi realizada com 42 idosos entre 68 a 91 anos que ainda não eram usuários da rede social. Os pesquisadores dividiram os participantes em três grupos distintos: um que teve acesso ao Facebook e a incumbência de publicar mensagens e fotos todos os dias; o segundo grupo foi treinado para utilizar uma plataforma de blogs, a Penzu.com, diariamente, mas sem interação social com seus leitores e seguidores, e o último grupo foi formado por pessoas que estavam em uma lista de espera para obterem o treinamento para a utilização do Facebook.

Durante o período de estudos, que durou oito semanas, todos os participantes da pesquisa realizaram testes neuropsicológicos e responderam a questionários, que eram capazes de identificar as variáveis sociais de cada indivíduo como solidão e interação social, bem como as funções cognitivas de cada um. Com base nisso, os pesquisadores identificaram que 25% das pessoas que utilizaram o Facebook durante o teste tiveram melhoras em sua capacidade cognitiva, enquanto quem não utilizou a rede social não apresentou nenhuma alteração significativa em seu desempenho.

Idosos computador

O Facebook pode ser uma boa alternativa para os jogos online, afirmam pesquisadores

A pesquisadora Janelle Wohltman acredita que a complexidade que envolve a estrutura do Facebook pode ter sido ideal para os idosos melhorarem suas funções cognitivas. "No Facebook, informações novas são publicadas o tempo todo. Você vê essa informação nova chegar, e precisa se focar nela para se livrar da informação anterior, ou mantê-la em mente se quiser voltar e checar alguma coisa depois. Então, você tem que atualizar constantemente o que está sob a sua atenção", explicou Janelle.

No entanto, os pesquisadores afirmam que ainda é necessário a realização de outros testes para determinar realmente se a rede social é um mecanismo efetivo para as melhoras apresentadas nos idosos e, além disso, eles acreditam que o Facebook pode ser uma ótima alternativa aos jogos online para os idosos desde que eles tenham orientação sobre como manipular as ferramentas, principalmente, as de segurança e privacidade.