Conta anônima no Instagram gera protestos e detenções na Suécia

Por Redação | 20 de Dezembro de 2012 às 16h35

Uma conta anônima, que até agora não teve seu criador descoberto, foi criada no aplicativo de fotos Instagram e causou protestos, tumulto, detenções e até o fechamento de uma escola em Gotemburgo, na Suécia. Os protestos começaram depois que os alunos descobriram uma conta na rede social que divulga rumores sobre suas vidas sexuais utilizando fotos roubadas do Facebook e Twitter.

A polícia local teve que intervir durante os protestos realizados na última terça-feira (18) com cavalos, cães e até um helicóptero para tentar dispersar mais de 500 alunos que realizavam as manifestações. Ao todo foram detidas 27 pessoas e a instituição de ensino permaneceu fechada ao longo desta quarta-feira (19).

Acusada de ser a responsável pela polêmica conta no Instagram, uma adolescente de 17 anos foi levada até a delegacia para prestar depoimentos depois de ser o pivô do início do tumulto. A jovem nega todas as acusações - ainda não se sabe se ela realmente é a responsável pela conta - e o caso deverá ser encaminhado para a Justiça sueca.

O perfil conta com mais de seis mil seguidores na rede social e expõe fotos roubadas dos alunos da escola acompanhadas por textos ofensivos. As autoridades locais estimam que mais de 200 adolescentes, principalmente meninas, foram expostos com fotos insinuantes no perfil, além disso, o dono da conta solicitava que seus seguidores o ajudassem a alimentar o perfil com fotos.

Tumulto escola conta Instagram

Reprodução: Metro News

Segundo o site GT Expressen, Jan Fredriksson, porta-voz do Facebook na Suécia, afirmou que os usuários do Instagram devem denunciar a conta para que ela seja removida e que o responsável pelo perfil difamatório deverá ser descoberto mediante um inquérito policial.

A jovem acusada de ser a dona da conta na rede social foi entrevistada e afirmou que uma foto sua também foi postada no perfil, junto a um texto bem degradante. A adolescente informou que entrou em contato por e-mail com o responsável pela conta, solicitando a remoção de sua foto e que levaria o caso à polícia. A foto foi excluída. Mesmo assim, o caso começou a se espalhar pela escola e entre os seguidores do perfil no Instagram, e a adolescente foi apontada por eles como a responsável pela publicação de fotos ofensivas.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.