Conheça a mulher que enfrentou um troll que a assediou por anos na internet

Por Redação | 29 de Janeiro de 2015 às 12h27
photo_camera Foto: Divulgação/Twitter

Lindy West é uma escritora que ficou conhecida nos Estados Unidos por fazer comentários sobre comediantes do sexo masculino que fazem piadas com mulheres relacionadas ao estupro. Feminista, West começou a receber diversas ameaças de pessoas que se mostraram intolerantes com a sua posição.

Em entrevista à rádio americana The American Life, a escritora contou um pouco da história do ciberbullying que ela vem sofrendo. Ela afirma que o problema de verdade começou quando um usuário, em 2013, resolveu ir mais além das ofensas tradicionais e postou uma mensagem no Twitter como se fosse do seu pai, já falecido.

Ela disse não se lembrar ao certo o que estava escrito na mensagem, mas que era algo muito cruel. Ela chamou o rapaz de “troll” publicamente e o inesperado aconteceu: ele pediu desculpas. A nota dizia:

“Não sei por que e nem quando comecei a te ‘trollar’. Não foi por causa da sua postura sobre as piadas de estupro. Eu também não as acho engraçadas. Acho que a minha raiva de você vem da sua felicidade com você mesma. Isto me ofendeu porque serviu para destacar a minha infelicidade comigo mesmo.

Eu te enviei um email através de duas contas do Gmail somente para te mandar insultos idiotas. E peço desculpas por isso. Criei o paulwestdonezo@gmail.com e a conta no Twitter. Já deletei ambos.

Não posso pedir desculpas suficientes. Esta foi a coisa mais baixa que eu já fiz. Quando você incluiu isso no seu último artigo para o Jezebel, finalmente conseguiu me atingir. Existe uma vida, um ser humano lendo essa porcaria. Estou atacando quem nunca me prejudicou de nenhuma forma e por nenhuma razão.

Cansei de ser um troll. Novamente, peço desculpas. Fiz uma doação em memória do seu pai. Te desejo o melhor”.

West comentou que queria ouvir do ex-troll o que o fez pedir desculpas e, antes de tudo, o que fez com que ele se tornasse um troll. Ele disse que parte disso vem da mulher segura e confiante que ela é, muito mais do que ele. O homem, que ainda é mantido como anônimo, percebeu que ele não pode fingir que convive bem com mulheres, se na frente de um computador ele prefere insultá-las.

A história completa pode ser ouvida aqui.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.