Estudo aponta as principais tendências do consumo para 2013

Por Redação | 18 de Dezembro de 2012 às 07h05
photo_camera Foto: Rodrigo Dionisio/Frame

O ano de 2012 está chegando ao fim. Aproveitando a época, o ConsumerLab, laboratório de pesquisas de comportamento da Ericsson, identificou as principais tendências de consumo para 2013 em diante. Por mais de 15 anos, o ConsumerLab conduziu uma pesquisa sobre valores, comportamentos e modos de utilização de produtos e serviços relacionados às tecnologias da informação e comunicação (TICs).

Michael Björn, responsável por Pesquisas no ConsumerLab, diz: "O nosso programa global de pesquisa é baseado em entrevistas anuais com mais de 100.000 pessoas em mais de 40 países e 15 megacidades. Ao longo dos anos, nós acumulamos uma enorme base de dados sobre as tendências de consumo - e notamos que o ritmo das mudanças está mais rápido do que nunca".

Pessoas conectadas

Conheça as principais tendências de consumo para 2013:

1. Mais acesso à nuvem

A dependência da nuvem remodela as necessidades de dispositivos. Mais de 50% dos usuários de tablets e mais de 40% dos usuários de smartphones nos EUA, Japão, Austrália e Suécia apreciam a simplicidade de ter os mesmos aplicativos e dados facilmente disponíveis na nuvem em vários dispositivos.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

2. Computação para uma mente dispersa

De desktops, arquivos e pastas a superfícies planas, aplicativos e serviços de nuvem, os consumidores estão cada vez mais voltando as costas para um paradigma de computação para a mente focada. As tarefas são tratadas no calor do momento – quer estejamos em uma fila de compras ou conversando com alguém em um café. Por isso os tablets fazem tanto sucesso no mercado.

3. O uso da banda larga própria para o trabalho

Um total de 57% dos usuários de smartphones usam seus aparelhos pessoais no trabalho. Eles estão cada vez mais sendo usados para o trabalho, para enviar e-mails, planejar viagens de negócios, encontrar locais e muito mais. Você já conhece essa tendência?

4. Crescimento exacerbado do número de celulares

Por acessar a internet sempre e em toda parte, os consumidores são agora uma força incontrolável tornando a internet verdadeiramente móvel. O total de assinaturas de smartphones atingirá 3,3 bilhões até 2018 e a cobertura de rede móvel é um dos fatores de satisfação mais importantes da vida na cidade. Até 2014, a quantidade de celulares deverá ultrapassar o número de pessoas na Terra.

5. Redes sociais de segurança pessoal

A confiança nas estruturas tradicionais está diminuindo e os consumidores confiam cada vez mais em suas comunidades pessoais. Redes pessoais online e mídias sociais estão se moldando para se tornarem sérios concorrentes das tradicionais agências de trabalho.

6. Mulheres impulsionam o mercado de smartphones

Nada menos que 97% das proprietárias de smartphones adoram enviar SMS. 77% das mulheres enviam e recebem fotos, 59% usam redes sociais, 24% realizam check-ins em locais e 17% resgatam cupons. Os valores para os homens são mais baixos nessas áreas.

7. Cidades tornam-se pólos de criatividade social

Moradores de centros urbanos têm significativamente mais amigos online do que pessoas das áreas mais afastadas. 12% das pessoas que vivem em cidades dizem que a principal razão para usar as redes sociais é se conectar e trocar ideias com outras pessoas.

8. Compras online

Um total de 32% dos usuários de smartphones utiliza os dispositivos para fazer compras. Eles agora começam a combinar os aspectos de compras em lojas e compras online. Eles querem ver produtos, obter informações, fazer comparações de preços e fazer compras imediatamente, sem ter que enfrentar filas para pagar.

9. A TV torna-se social

Um total de 62% dos telespectadores usa os fóruns sociais enquanto assiste a vídeos e TV - e 42% daqueles que usam fóruns sociais ou chats enquanto assistem, discutem coisas que estão vendo na tela. 30% das pessoas desse grupo são mais propensas a pagar por conteúdo visto em contextos sociais. A maior parte do consumo de vídeo e TV em dispositivos móveis acontece em casa.

10. Aprendizado em transformação

Os jovens trazem a sua experiência tecnológica pessoal para a sala de aula, conduzindo uma pressão por mudanças de baixo para cima. Simultaneamente, governos e instituições buscam novas soluções de TICs, a fim de serem mais eficientes. A conectividade muda as perspectivas para as crianças em uma escala global.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.