Estudo: aplicativos móveis são tão viciantes quanto cigarro

Por Redação | 12 de Julho de 2013 às 08h25

O eBay realizou um experimento informal para descobrir se as pessoas conseguem viver tranquilamente sem aplicativos móveis. A pesquisa foi feita para comemorar os cinco anos da App Store, onde a empresa mantém um app desde o seu primeiro dia de vida.

O eBay desafiou 200 pessoas a viver sem aplicativos móveis por quatro dias. Os tipos mais comuns de aplicativos utilizados pelos participantes eram: redes sociais, compartilhamento de fotos, navegação e apps sobre o clima. O resultado foi que um terço deles não conseguiu completar a tarefa e um dos participantes comparou a tarefa com sua experiência de parar de fumar.

Enquanto estiveram longe de seus aplicativos, os participantes da pesquisa relataram que se sentiram perdidos – alguns no sentido literal da palavra, já que abdicaram também dos apps de navegação. Por outro lado, quando voltaram a usar as aplicações, a maioria dos usuários disse se sentir feliz (55%), mais produtivo (40%), calmo (39%) e menos frustrado (32%). As atividades mais realizadas por eles quando tiveram seus aplicativos de volta foram:

  • Tirar e compartilhar fotos e vídeos (49%)
  • Ler notícias (48%)
  • Conversar com amigos e familiares (23%)
  • Compras (21%)
  • Exercícios (12%)
  • Comer (12%)
  • Sair para namorar (5%)

Logo, a pesquisa informal do eBay mostra que as pessoas viciadas em aplicativos móveis namoram menos, leem mais notícias, se sentem felizes, mais produtivos e, principalmente, são realmente viciados!

Infográfico eBay apps móveis
Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.