Um jornalista curioso pergunta sobre MVNO

Por José Otero RSS

antena

Recentemente, tive a oportunidade de me reunir com diversos representantes do setor de telecomunicações do México. O que mais chamou a minha atenção foi o incrível interesse dos participantes no futuro das operadoras móveis virtuais (MVNOs). Alguns perguntaram a fórmula mágica para ser milionário por meio de uma MVNO, outros, mais cautelosos, tratavam de identificar os elementos diferenciadores que permitiam converter-se em um operador móvel virtual de sucesso. 

Como era de se esperar, cada um dos presentes começou a perguntar sobre temas particulares, mais pessoais. Enquanto que na Argentina o foco estava nas possibilidades de uma MVNO por meio de cooperativas no país; no Peru, o pensamento girava em torno de como entrar no mercado móvel agora que as MVNOs são bem vistas pelo governo. E como de costume, um jornalista mexicano voltou suas energias em tentar converter a “Red Compartida” em uma MVNO. 

Obviamente, existe uma estreita relação entre a futura Red Compartida atacadista, porém o objetivo de quem a administra não deve centrar-se somente nestas operadoras. A rede atacadista deve contemplar o que pode ser feito com os ativos fixos disponíveis de forma imediata para gerar renda durante o período de desenvolvimento e montagem da rede. A diversificação de sua carteira de clientes será essencial para seu futuro. 

A principal pergunta do jornalista foi: Por que há tanto interesse na Red Compartida atacadista e nas MVNOs somente agora, sendo que este modelo de negócio existe há tantos anos? Para variar, estamos atrasados com as tendências na América Latina. 

Lhe respondi que na realidade estamos vivendo a terceira onda de otimismo das MVNOs na região. No passado, foram feitas numerosas tentativas para trazer o modelo para a região, no entanto, as dificuldades na negociação com as operadoras existentes, os modelos de negócios mal concebidos e as entidades relutantes para acomodar a regulamentação das MVNOs não geraram resultados positivos. Esses são exemplos de como não fazer acontecer.

Grande parte dos esforços dos governos da América Latina para com as MVNOs se deve como umas das últimas alternativas viáveis que possuem para  aumentar a oferta de serviços do mercado de telecom e, assim, garantir que o consumidor tenha mais opções para escolher. 

Fazendo o papel de advogado do diabo, eu diria que muitos reguladores têm percebido que, em grandes mercados, baixo poder aquisitivo, baixa renda e densidades de penetração de celulares superiores a 100%, não entraria qualquer operador para construir uma rede móvel do zero. São numerosos os blocos de espectros reservados para as novas operadoras que nos últimos anos foram abandonadas e são testemunhas dessas palavras. 

No passado, na Argentina, Colombia e no México, os políticos – aos seus critérios – anunciaram de forma extravagante que as operadoras estavam dispostas a investir bilhões de dólares  em uma rede a partir do zero. Mas o alarde se dissipou e ainda estão aguardando a concretização. 

Mais uma vez ele insistiu a respeito da rede atacadista, queria saber se seria rentável. Minha resposta foi bastante clara: isso depende de quantos clientes você terá, de qual será o perfil destes cientes e de quanto irá cobrar pelos seus serviços. No entanto, somente com as MVNOs, ao menos inicialmente, não seria rentável, ainda que este modelo passasse  de 1% de todas as linhas do mercado para tornar-se 20% do total. É preciso lembrar que a renda do investidor da operadora de atacado é uma fração muito pequena em relação à renda do menor acionista de uma operadora normal e ainda, se a MVNO utilizar mais de uma rede para operar, o rendimento pode ser menor ainda. 

Então, para concluir, eu disse: veja a importância de oferecer serviço de dados através de uma rede fixa. 

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!

Jose F Otero tem 24 anos de experiência no setor das TIC. Esta coluna é escrita em caráter pessoal.

Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome