Qual será o próximo grande vilão do Universo Cinematográfico da Marvel?

Por Rafael Rodrigues da Silva | 06 de Maio de 2019 às 12h52
Tudo sobre

Marvel

Saiba tudo sobre Marvel

Ver mais

AVISO DE SPOILER: Essa matéria possui spoilers de Vingadores: Ultimato, então, se você ainda não viu o filme e não gosta de spoilers, fuja para as colinas!

O fim de Vingadores: Ultimato significou também o fim de Thanos como grande um vilão do Universo Cinematográfico da Marvel (UCM), já que ele foi transformado em pó e removido de todas as realidades junto com todo o seu exército e o sacrifício de Tony Stark. Com isso, dois “buracos” foram criados no UCM: nós não temos mais um “supergrupo” (ainda que os Vingadores devam continuar existindo com outra formação, já explicamos em outra matéria sobre o porquê de, sem o Capitão América original e o Homem de Ferro, o grupo não terá a mesma importância) nem um vilão.

Desde as cenas pós-créditos do primeiro Vingadores, a Marvel já deixou claro que o grande vilão de seus filmes era o Titã Maluco e que todos os eventos de seus filmes apenas aproximavam os heróis da franquia da batalha pelo destino do universo contra ele. Mas, agora que Thanos já não existe mais, quem poderia assumir o posto de grande vilão do UCM?

Trazemos aqui alguma opções de vilões que possuem poder e reconhecimento suficientes para serem o próximo “malvadão” do universo Marvel, mas já deixamos claro: todas as possibilidades levantadas aqui são suposições sem nenhuma base, já que a Marvel tem feito segredo total sobre os seus planos para o futuro dos filmes. Assim sendo, o possível próximo grande vilão da Marvel nos cinemas pode ser:

Galactus

Essa é, talvez, a escolha mais óbvia para próximo grande vilão do UCM, já que seria uma evolução natural — nos quadrinhos, Galactus é uma das poucas ameaças cósmicas mais perigosas do que Thanos, além de ser um personagem bem conhecido até mesmo por aqueles que não são especialistas nos quadrinhos da editora.

Também conhecido pelo apelido “Devorador de Mundos”, Galactus é uma entidade cósmica que viaja pelo universo destruindo planetas, “alimentando-se” deles. Como a Disney parece estar cada vez mais apostando em aventuras cósmicas — além dos Guardiões da Galáxia, a próxima fase da empresa também deverá ter várias participações da Capitã Marvel e a já confirmada presença dos Eternos —, Galactus se adequaria como uma luva, já que é possivelmente a criatura mais poderosa de todo o universo. Além disso, ele também é um vilão clássico do Quarteto Fantástico, e se a Disney tiver o interesse em levar o grupo para as telonas após garantir os direitos sobre eles com a compra da Fox, a ameaça de Galactus pode ser um bom ponto de partida para introduzi-los no UCM.

Os poderes de Galactus são muitos e se equiparam aos de Thanos com a Manopla do Infinito (teletransporte, manipulação de matéria, controle de mentes, destruir e recriar planetas inteiros, etc,etc e etc) com a diferença de que ele é um gigante de armadura — e gigante nos padrões cósmicos, já que Galactus é capaz de esmagar um planeta do tamanho da Terra usando apenas dois dedos, equivalente a um humano esmagando uma formiga. Então, se a Marvel quiser elevar ainda mais o grau de perigo que seus heróis precisam enfrentar após derrotarem Thanos, Galactus é uma escolha bem óbvia.

Dr. Destino

A aquisição da Fox pela Disney permite que a empresa introduza ao seu universo cinematográfico novos heróis e vilões que antes não eram impossíveis de serem usados — mais notadamente, os personagens relacionados aos X-Men e ao Quarteto Fantástico, cujos direitos pertenciam à Fox. Assim sendo, é quase certeza que o UCM irá introduzir um dos maiores vilões dos quadrinhos — e que tem potencial para ser o próximo grande “malvadão”: o Dr. Destino.

Ainda que o alter-ego de Victor Von Doom não seja uma ameaça cósmica como Thanos, ele é uma ameaça perigosa o suficiente para exigir que diferentes heróis se juntem para enfrentá-lo, sendo um inimigo clássico não apenas do Quarteto Fantástico, mas também dos Vingadores.

Os poderes do Dr. Destino são meio que uma mistura dos do Homem de Ferro com o Dr. Estranho, sendo um gênio da ciência capaz de construir qualquer tipo de equipamento cibernético e robótico, mas também possuindo habilidades mágicas, conseguindo abrir portais, controlar mentes, se tornar imune aos poderes de qualquer herói e até mesmo trocar de corpo com alguém apenas pelo olhar (manobra que sempre usa para fugir de prisões e evitar ser morto). Tais habilidades fazem dele um vilão fenomenal e alguém que pode facilmente ser, assim como foi Thanos, tanto uma ameaça brutal em si quanto alguém inteligente o suficiente para controlar eventos e coordenar ataques aos Vingadores (ou qualquer novo grupo de heróis que a Marvel nos apresente) nos bastidores, sem que ninguém desconfie de seus planos.

Magneto e a Irmandade Mutante

Uma coisa é certa: com a compra da Fox, a Marvel cedo ou ainda mais cedo irá introduzir os X-Men no UCM. De certa forma, esse foi um dos principais motivos da compra, e não faz sentido gastar muitos bilhões de dólares para não usar logo os personagens — não podemos nos esquecer que, ao lado do Homem-Aranha, os X-Men são os super-heróis mais conhecidos da Marvel pelo público que não é fã de quadrinhos. E, se é certeza que os X-Men serão usados, também outra coisa é certa: Magneto será um dos vilões.

Apesar de a maior chance é de Magneto ser um vilão apenas de um hipotético filme solo dos X-Men, ele possui influência e poder suficientes para ser utilizado como o próximo “malvadão” do UCM. Até mesmo porque, se o vilão aparecer com o plano de montar a Irmandade de Mutantes, o grupo pode ser poderoso demais para apenas os X-Men darem conta.

Além disso, a Irmandade pode ser uma boa desculpa para introduzir diversos mutantes ao UCM, já que o grupo já teve em sua formação personagens famosos como Mística, Dentes-de-Sabre, Psylocke, Gambit e Fanático. Além disso, a Feiticeira Escarlate - que continua no UCM sem um papel definido desde a morte do Visão — pode ser o elo de ligação para esses personagens, talvez introduzindo Magneto em uma trama em que ela tenta descobrir quem é o seu pai biológico. Além disso, usar a Feiticeira Escarlate não apenas para introduzir, mas também ajudar a fundar a Irmandade — talvez mostrando que ela passou a sentir raiva da humanidade desde que Visão se sacrificou em vão para tentar salvá-la — seria um tipo de trama nova para os filmes da empresa; Loki já navegou as águas do “vilão incompreendido que se torna mocinho” e a Feiticeira Escarlate poderia ser a primeira personagem desse universo a embarcar na onda do “herói traumatizado que se revolta e vira vilão”.

Apocalipse

Como já falamos no caso do Magneto, uma certeza que temos é que a Marvel irá encontrar algum jeito de inserir os X-Men em seus filmes, e com isso qualquer um dos principais vilões dos X-Men se tornam possíveis de serem utilizados. E poucos vilões dos X-Men (ou até mesmo da Marvel como um todo) são mais poderosos do que Apocalipse.

Um dos primeiros mutantes documentados, Apocalipse tem o poder de rearranjar sua moléculas do jeito que achar melhor, o que o torna praticamente invencível, já que ele consegue modificar as células de seu corpo para evitar qualquer tipo de ataque ou se curar rapidamente — nos quadrinhos, ele sempre exige que um enorme número de mutantes trabalhem juntos para conseguir derrotá-lo. E, como o UCM ainda não possui um enorme número de mutantes, ele se torna uma ameaça grande o suficiente para que os outros heróis do cinema se juntem mais uma vez.

A chance de usar Apocalipse é bem baixa por causa do personagem ter aparecido recentemente em um filme dos X-Men pela Fox, mas, por conta da força do personagem — e o fato de ele ser um dos vilões mais conhecidos do X-Men, que devem ser uma parte importante do futuro da Marvel —, não é possível descartá-lo totalmente.

Coração Negro

Além de introduzir as histórias cósmicas, os filmes que abriram caminho até Vingadores: Ultimato também introduziram um outro elemento narrativo ao UCM: a magia. Desde Doutor Estranho, o uso de magia se tornou cada vez mais recorrente nos filmes da empresa — incluindo na batalha final de Ultimato, quando diversos portais se abrem para trazer os heróis revividos para a briga. Então, se no futuro a empresa quiser mergulhar ainda mais no universo de magia dos quadrinhos, o Coração Negro é um vilão que pode acabar aparecendo nos cinemas — e que tem potencial para ser a próxima grande ameaça do UCM.

“Filho” do demônio Mephisto, Coração Negro pode ser considerado ainda mais poderoso do que o demônio que o criou por não precisar seguir as regras dos demais. Coração Negro é um ser praticamente onisciente e possui uma enorme lista de superpoderes, entre eles manipulação da realidade, força, velocidade e vigor sobre-humanos, manipulação mental, telepatia, telecinese, invocação de demônios e a habilidade de roubar a alma de qualquer pessoa mesmo sem a permissão dela (algo que outros demônios não conseguem fazer por terem seus poderes limitados pelas leis celestiais). Nos quadrinhos, Coração Negro já mostrou conseguir controlar as mentes de milhões de pessoas ao mesmo tempo. Ele pode ser um vilão que não apenas é super-poderoso por si só, mas também consegue controlar outros heróis, sendo uma ameaça ainda maior do que Thanos.

O que “pesa” contra Coração Negro é não apenas o fato de ele ser pouco conhecido pelo público, mas também, como é um vilão clássico do Motoqueiro Fantasma e a Marvel já anunciou uma série do personagem para a Hulu, é capaz que os responsáveis pelo UCM demorem um pouco para utilizar esse personagem — isso se algum dia ele for mesmo utilizado.

Mandarim

Esse talvez seja o vilão com menos chances de ser a próxima “grande ameaça” do UCM, mas o uso dele seria uma quebra de expectativa tão grande que é legal considerá-lo. O primeiro motivo que faz desta escolha algo improvável é que o Mandarim não é um novato nos cinemas: o personagem já apareceu em Homem de Ferro 3, como um líder terrorista que, na verdade, era apenas um ator contratado para fingir ser o líder de um grupo terrorista. Essa escolha ddo diretor Shane Black acabou deixando os fãs decepcionados (e com razão, já que o Mandarim é um dos melhores vilões da Marvel), mas a cena pós-créditos do longa deixou em aberta a possibilidade de retorno do personagem — e essa nova fase pode ser justamente o momento de trazê-lo de volta.

Nos quadrinhos, o Mandarim é um dos mais poderosos inimigos do Homem de Ferro, sendo não apenas um ótimo artista marcial — com força suficiente para amassar a armadura do herói com um soco —, mas também um dos magos mais poderosos do universo devido aos dez anéis mágicos que ele utiliza em suas mãos que lhe permitem paralisar e controlar a mente de uma pessoa, desintegrar qualquer objeto e manipular elementos como fogo, raio e ar — basicamente uma versão “cospobre” dos poderes da Manopla do Infinito de Thanos.

O uso do personagem faria sentido como um “Thanos 2”, um inimigo mais ou menos com os mesmos poderes do antigo vilão da Marvel e com planos mais mirabolantes — invés de matar todo mundo, algo mais para o lado de dominar o planeta. Além disso, assim como Josh Brolin era um ator bom o suficiente para fazer com que Thanos parecesse um personagem complexo, se a Marvel trouxer de volta o Mandarim, Ben Kingsley é um ator ainda melhor e pode facilmente vender esse vilão como um dos mais poderosos já enfrentados pelos heróis — principalmente quando se torna ainda mais difícil tirar os poderes mágicos dele do que os de Thanos, já que seriam necessários remover dez anéis, e não uma manopla. As chances são pequenas, mas uma volta triunfal do Mandarim ao UCM como um personagem mais próximo daquele dos quadrinhos pode ser um modo de lembrar a todos que, mesmo fora de ação, o Homem de Ferro continua sendo um herói importante deste mundo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.