Qual o futuro do universo mutante nas mãos da Fox?

Por Gustavo Rodrigues | 02 de Março de 2016 às 11h15

Deadpool foi um sucesso muito maior do que a Fox esperava para o filme do anti-herói e ultrapassou as bilheterias dos longas dos X-Men nos Estados Unidos com grande facilidade, mesmo tendo classificação indicativa mais restritiva. Agora, o estúdio se prepara para lançar X-Men: Apocalipse e fechar a segunda trilogia dos mutantes nos cinemas. Mas, com o adiamento de Gambit, quais são os próximos passos que a empresa tem para aproveitar as tramas envolvendo o Gene-X?

Ryan Reynolds deve começar a pensar em novas possibilidades para a sequência de Deadpool e ver o que a Fox planeja para ampliar o personagem no universo mutante. Afinal, de agora em diante o Mercenário Tagarela vai ser muito mais requisitado pelo estúdio. Os problemas na pré-produção do filme do Gambit e o sucesso de bilheteria do anti-herói desbocado mostram que o caminho é apostar no que se mostrou uma fonte segura de dinheiro, não no duvidoso ladrão mutante interpretado por Channing Tatum.

Professor X

X-Men: Apocalipse, que será lançado em 19 de maio, ainda fechará um ciclo, assim encerrando as participações de Michael Fassbender (Magneto), Jennifer Lawrence (Mística), James McAvoy (Professor X) e Nicholas Hoult (Fera). O quarteto principal sai dos holofotes e deixa a nova geração de mutantes representarem o futuro dos X-Men no cinema. Sophie Turner (Jean Grey), Tye Sheridan (Ciclope) e Alexandra Shipp (Tempestade) devem se tornar o foco das próximas histórias. O problema é em que ponto cronológico histórico o filme seguinte ocorreria, já que Primeira Classe se passa nos anos 60, Dias de Um Futuro Esquecido 70 e Apocalipse 80. Esse pulo de década já rende furos na história da franquia.

Além disso, o próprio vilão Apocalipse (Oscar Isaac) pode se tornar elemento base para as tramas, assim como Magneto foi fundamental até agora. Como o mutante egípcio é um perigo constante tanto no presente como no futuro e até em realidades paralelas, essa pode ser a ponte que a Fox precisa para levar os X-Men a novas tramas. Outros personagens importantes apresentados são Psylocke (Olivia Munn) e Arcanjo (Ben Hardy). A ninja telecinética ganhou relevância nas páginas da Marvel Comics nos anos 80 e nos últimos arcos da X-Force, que eram centrados no Apocalipse, e é interesse romântico do mutante alado, anteriormente Anjo, que é membro fundador da equipe.

Cable e Deadpool

Contudo, nada parece mais propício para o novo universo mutante nos cinemas do que Cable. Ele é filho de Ciclope e Madelyne Prior, clone de Jean Grey, tem envolvimento com viagens no tempo, já foi membro da X-Force, comandou ex-Novos Mutantes e, principalmente, é amigo do Deadpool - o que lhe renderá presença no segundo longa do anti-herói. O personagem é capaz de fazer todos os elos com o que a Fox já criou e pretende estabelecer para a franquia. Ele ainda pode ocupar o posto de protagonismo do Wolverine, que terá sua última participação no seu terceiro filme próprio - inspirado na série Old Man Logan.

A Fox ainda tem muito para produzir com base no universo mutante, seja nos longas dos X-Men, nas equipes menos famosas ou com o Mercenário Tagarela que conquistou o mundo. O que mostra que a Marvel Studios pode até sonhar, mas vai demorar bastante tempo para readquirir os direitos destes personagens de volta. Quem sabe, talvez, recupere o Quarteto Fantástico, mas os homo superior só num futuro bem distante.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.