Inteligência artificial faz o roteiro de 'Sunspring' e trapaceia em festival

Por Redação | 15 de Junho de 2016 às 23h15
photo_camera Print https://www.youtube.com/watch?v=LY7x2Ihqjmc

Parece história de filme! A sinopse seria algo como: "Um algoritmo de nome 'Benjamin', capaz de escrever o roteiro de um curta-metragem e compor sua trilha sonora, desenvolve um material tão interessante que este é selecionado e fica entre os dez finalistas de um concurso de filmes. Mas o melhor está por vir: o programa de inteligência artificial, além de roteirizar o curta e criar uma trilha sonora, é também responsável por trapacear a competição na busca pelo prêmio! (Gênero Ficção Científica)". A única diferença é que isso realmente aconteceu.

Sunspring

Vindo da parceria entre o cineasta Oscar Sharp e o especialista em redes neurais Ross Goodwin, o curta-metragem de ficção científica Sunspring, com o ator Thomas Middleditch (de Silicon Valley), foi inteiramente escrito por uma IA, Jetson (conhecida como "Benjamin") e teve sua trilha sonora também criada pelo algoritmo, sendo interpretada pela dupla Andrew James & The Steady Tiger.

"Parece um típico filme de ficção científica alternativo, completado por uma trama sem sentido", descreve o site Ars Technica, mostrando o real problema enfrentado pelo cineasta e pelo cientista à frente do projeto. Basicamente, Sunspring acompanha três pessoas que vivem em um futuro estranho, possivelmente em uma estação espacial, provavelmente em um triângulo amoroso. "Assim que fizemos nossa primeira leitura do roteiro, todos na mesa estavam morrendo do rir", disse Sharp. Para o cineasta, o maior desafio deste processo foi dar coerência às ideias sem pé nem cabeça de Benjamin. Ao fim, o resultado foi uma verdadeira poesia, envolvendo uma trama de romance e de um assassinato num futuro obscuro.

Se o assunto acabace aí, essa seria só mais uma matéria sobre IA. Não fosse o (talvez) maior feito do algoritmo. Após o curta ser selecionado entre os dez finalistas do concurso de filmes do Sci-Fi London, superando centenas de concorrentes, Benjamin entrou em ação novamente - agora, influenciando na votação da competição.

"Esses caras estavam trapaceando, recebendo milhares de votos. Com certeza estavam usando bots para votar neles", contou o pesquisador Goodwin. E Benjamin, muito irritado com essa interferência desleal, na reta final da competição passou a direcionar 36 mil votos por hora para Sunspring, que passou a ser o líder da disputa. Para evitar qualquer problema futuro, Sharp entrou em contato com o organizador do festival, Louis Savy, e comunicou que o algoritmo estava votando em seu próprio filme.

Diante desta situação, coube ao realizador cancelar o concurso, devido às fraudes virtuais e também às fraudes humanas. Será que IA's poderão ser os novos algoritmo/escritor/compositor da indústria cinematográfica? Confira, abaixo, o revolucionário Sunspring:

Fonte Adoro Cinema

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.