Há 30 anos, De Volta Para o Futuro estreava na telona

Por Douglas Ciriaco | 02 de Julho de 2015 às 15h21
photo_camera CanalTech

No dia 3 de julho de 1985 os cinemas dos Estados Unidos eram tomados de assalto por um filme que ficaria marcado como uma das principais obras cinematográficas de todos os tempos.

Era a estreia de De Volta Para o Futuro, uma comédia de ficção científica dirigida por Robert Zemeckis (também responsável por Forrest Gump: O Contador de Histórias) e estrelada pela dupla Chistopher Lloyd (de Um Estranho no Ninho) e Michael J. Fox (de Meu Querido Presidente).

Zemeckis já era razoavelmente conhecido por alguns trabalhos anteriores, como Febre de Juventude (1978) e Em Busca da Esmeralda Perdida (1984), que passaram longe de ser sucesso de crítica e de público. Em 1985, porém, ele começaria a galgar o posto de um grande diretor ao lançar De Volta Para o Futuro, escrito por ele em parceria com Bob Gale e produzido por Steven Spielberg.

Três décadas depois, a obra ganhou o coração de milhões de fãs ao redor do mundo e garantiu seu lugar nas listas de melhores filmes já feitos. Ela gerou ainda outros dois filmes, compondo assim uma trilogia, deu origem a desenhos animados, jogos eletrônicos e a um forte impacto na cultura pop ocidental.

Viagem no tempo

No filme, o cientista doutor Emmett Brown (Lloyd) constrói uma máquina do tempo em um carro DeLorean DMC-12 e viaja no tempo junto de seu novo amigo, o jovem Marty McFly (Fox). Eles vão para 1955 e precisam dar um jeito de consertar o veículo de modo a retornar para o presente.

A ideia para o roteiro veio de Bob Gale, quando ele visitou seus pais e viu o anuário de seu pai, da época em que ele estudava. Analisando as fotografias, Gale se questionou se ele e seu genitor teriam sido amigos casos estivessem dividido os corredores e salas de aula da mesma instituição de ensino.

De Volta Para o Futuro

Doc. Brown e Marty McFly prestes a viajarem no tempo. (Foto: Divulgação/Universal Pictures)

Ao ouvir a história de Gale, Zemeckis pensou sobre a história de uma mãe que contava sobre uma juventude casta para o seu filho quando, na verdade, havia passado bem longe disso. Juntos, então, eles levaram a ideia até a Columbia Pictures, realizando um acordo para o desenvolvimento de um roteiro em cima dessas premissas. No final das contas, quem acabou comprando o roteiro foi a Universal Pictures.

Piadas e máquinas do tempo

Originalmente, a ideia para a máquina do tempo era a de um refrigerador, o que foi descartada por motivos de motivar crianças e adolescentes a se trancarem dentro de suas geladeiras a fim de viajar no tempo. Então, a escolha pelo modelo DMC-12 da DeLorean foi quase óbvia.

A ideia se baseava em uma piada que corria algumas regiões dos Estados Unidos, na qual fazendeiros haviam confundido o modelo esportivo da montadora estadunidense com um disco voador. Assim, o filme começava a ganhar forma e a dupla Zemeckis e Gale começava a encorpar o seu roteiro, que foi concluído no início de 1981.

Sucesso de bilheteria, de crítica e de público

De Volta Para o Futuro liderou as bilheterias dos Estados Unidos por nada menos do que 11 semanas seguidas. O filme arrecadou a impressionante quantia de US$ 210 milhões no país norte-americano, arrecadando ainda mais US$ 173 milhões no restante do mundo. Ao todo, a renda com bilheteria da obra de Zemeckis foi de mais de US$ 380 milhões, a maior bilheteria do ano.

A crítica especializada produziu grandes resenhas sobre a obra desde a sua estreia. Sites como Metacritic e Rotten Tomatoes, que reúnem opiniões de especialistas e também do público em geral sobre uma obra cinematográfica, mostram excelentes indicadores, dando uma ideia do impacto positivo causado pela película.

No Metacritic, por exemplo, a pontuação média baseada em 12 críticas especializadas é de 86 (de um total de 100). Já as avaliações feitas por usuários alcançam pontuação média ainda maior: 9,1 (de um total de 10) — valor alcançado com média em 267 avaliações.

Já o Rotten Tomatoes reúne números ainda mais impressionantes: de 71 críticas especializadas, 68 foram positivas e apenas três apresentam uma avaliação negativa do filme de 1985, gerando um aproveitamento de 96%. Quanto a pontuação, as resenhas geram uma média de 8,7 (de um total de 10). Na pontuação da audiência, a avaliação é positiva para 94% das mais de 1 milhão de pessoas que deram sua opinião, gerando uma pontuação média de 3,8 (para um total de 5).

De Volta Para o Futuro

De Volta Para o Futuro é constantemente apontado como um dos melhores filmes já feitos. (Foto: Divulgação/Universal Pictures)

Outro site especializado em reunir a opinião dos espectadores acerca de filmes e séries, o IMDB também dá indícios do sucesso de De Volta Para o Futuro. A página do filme indica uma pontuação média de 8,5 (de um total de 10) para mais de 610 mil usuários que deram a sua opinião.

Entrando para a história

A Empire, revista britânica especializada em entretenimento e uma das mais famosas e respeitadas do gênero em todo o planeta, classificou o primeiro De Volta Para o Futuro como o 23º melhor filme já feito pela humanidade. A Entertainment Weelky, uma publicação dos EUA também entre as mais respeitadas do setor, coloca a obra como o melhor filme colegial de todos os tempos.

Além disso, De Volta Para o Futuro figura na lista do jornal The New York Times como um dos 1.000 melhores filmes de todos os tempos. Com a avaliação de “cultural, histórica e esteticamente significante”, o filme também entrou para a lista de preservação da Biblioteca do Congresso Nacional dos Estados Unidos, em 2006.

Também em 2006, o Sindicato de Roteiristas dos Estados Unidos publicou uma lista com os 101 melhores roteiros da história. O argumento escrito por Bob Gale e Robert Zemeckis ficou com o 56º lugar. Em 2008, o American Film Institute classificou De Volta Para o Futuro como o 10º melhor filme de ficção científica já feito.

Impacto cultural

Além do sucesso com o público e com a crítica, De Volta Para o Futuro causou — e ainda causa — enorme impacto cultural no mundo. Em 1985, a cultura do skate ainda era incipiente no mundo ocidental, e o filme teve o seu papel em difundir a prática do esporte (Marty McFly era um ávido skatista).

Além disso, a marca DeLorean nunca mais foi a mesma depois da estreia da obra nos cinemas. O modelo DMC-12 entrou para a história como sinônimo de máquina do tempo, sendo praticamente impossível dissociar a marca e o veículo das aventuras de Doc. Emmett Brown e Marty McFly.

De Volta Para o Futuro

Trilogia causou grande impacto cultural. (Foto: Reprodução/Reddit)

Aliás, os atores que deram vida aos personagens também jamais puderam ser separados de seus papéis. O elenco do filme contava ainda com a participação de Lea Thompson, figura carimbada em diversas produções ao longo dos anos 1980 e que, junto com Michael J. Fox, jamais conseguiu repetir um papel de tamanho sucesso em outros filmes.

De todo o elenco, sem dúvida o mais bem-sucedido foi Chistopher Lloyd que, apesar de também jamais ter representado outro papel tão marcante quanto o de Emmett Brown, participou de inúmeras produções de sucesso ao longo dos anos 90. Recentemente, já próximo dos 80 anos de idade, Lloyd tem aparecido em poucas novidades.

Outra prova da relevância dentro da cultura pop da trilogia iniciada em 1985 é a promessa da Nike de lançar ainda neste ano o tênis usado por Marty McFly no futuro, em De Volta Para o Futuro II.

Remake? Só por cima do cadáver de Zemeckis

O cinema hollywoodiano vive atualmente uma fase de refilmagens e reboots, resgatando inúmeros sucessos dos anos 70 e 80. Filmes como O Exterminador do Futuro, O Vingador do Futuro e Caçadores de Emoção são alguns dos exemplos disso, o que levantou a óbvia possibilidade de um remake de De Volta Para o Futuro.

Questionado sobre isso pela reportagem do jornal britânico The Telegraph, o diretor Robert Zemeckis foi enfático: “Oh, Deus, não”. “Isto não pode acontecer até que eu e Bob [Gale, o outro criador da históra] estejamos mortos. E então eu tenho certeza de que farão [um remake], a menos que haja uma maneira de nossos herdeiros impedirem isso”, falou o diretor de 63 anos.

Bob Gale e Robert Zemeckis

Bob Gale e Robert Zemeckis não querem uma refilmagem. (Foto: Divulgação/Universal Pictures)

“Eu quero dizer, para mim, isso [refilmar a obra] é um ultraje. Especialmente porque este é um bom filme. É como dizer 'vamos refilmar Cidadão Kane. Quem vai interpretar Kane?' Que bobagem, que loucura é essa? Por que alguém faria isso?”, complementou o cineasta.

Marty McFly já chegou?

A internet volta e meia reacende as discussões sobre a chegada de Marty McFly ao futuro — o que acontece em De Volta Para o Futuro II. É bem comum ver imagens circulando na web indicando que aquele dia chegou, mas nem sempre elas se referem ao fato em si.

Pensando nisso, fãs da trilogia criaram o site Is Today The Day Marty McFly Arrives When He Travels to the Future? (ou, em tradução livre, É Hoje o Dia em que Marty McFly Chega Quando Ele Viaja Para o Futuro?). Ao entrar na página, você descobre quanto tempo falta para que o viajante do tempo venha do passado.

Fontes: Writers Guild of America, The New York Times, Empire, Entertainment Weekly, Library of Congress, ComingSoon.net, Metacritic, IMDB, Rotten Tomatoes, The Telegraph, Time

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.