Guerra Civil inicia desconstrução do Universo Marvel no cinema

Por Redação | 02 de Maio de 2016 às 16h52
Tudo sobre

Marvel

Capitão América: Guerra Civil inicia o período de desconstrução que a Marvel Studios pretende trabalhar na sua Fase 3. Com um roteiro mais dramático, apresentação de super-heróis importantes — principalmente o Homem-Aranha — e com um desfecho que permite aproveitar melhor os contratos dos seus principais atores, o estúdio traçou o caminho de suas produções até o desfecho de Vingadores: Guerra Infinita - Parte 2.

SPOILER ALERT: Este texto contém spoilers de Capitão América Guerra Civil.

Os Irmãos Russo, Joe e Anthony, foram os diretores de Soldado Invernal, voltaram para Guerra Civil e continuarão no posto nas duas partes de Vingadores: Guerra Infinita, tornando-os os principais nomes do estúdio, junto ao presidente da Marvel Studios, Kevin Feige. Já é perceptível no terceiro filme do Capitão América que eles trilham o caminho de desconstrução do que foi estabelecido nos últimos anos, assim renovando este universo com a inclusão de personagens, introduzindo novos conceitos e criando mais elementos para um evento gigantesco, como é esperado para o embate versus Thanos. Afinal, Helmut Zemo é o primeiro vilão que vence realmente nas produções estreladas pelos personagens da editora.

Com a criação do Tratado de Sokovia, não existe mais nenhum grupo de Vingadores legalizado, tornando ainda mais coerente a demora para o retorno da equipe em um longa próprio. O terceiro Thor conta com o subtítulo Ragnarok, o apocalipse da mitologia nórdica, e também deve ter um tom mais obscuro, já que o Deus do trovão teve visões negativas do futuro de Asgard em Era de Ultron. O longa ainda terá a presença do Hulk, que deve ser necessário para enfrentar uma ameaça de grande escala, de Loki, em posse do trono outrora de Odin e provavelmente a presença de Hela, a deusa asgardiana da morte. Os contratos dos atores já estão perto do fim, o que torna-se uma surpresa ainda maior a confirmação de Robert Downey Jr. no filme solo do Homem-Aranha.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Thanos

Com os heróis mais populares ausentes, a renovação tende a focar em conceitos que o estúdio ainda não aproveitou. Mais do que nunca, o Homem-Aranha é um garoto. Toby Maguire não tinha cara de colegial e Andrew Garfield não correspondeu ao que a versão clássica do personagem possui, enquanto Tom Holland difere dos adultos ao seu redor ao soltar simples palavras com sua voz jovial. Ele é o centro desse novo período da Marvel Studios e parece corresponder a todas as expectativas.

Ao lado do Cabeça de Teia, o já apresentado Pantera Negra, muito bem interpretado pelo Chadwick Boseman, dividirá os holofotes com o Doutor Estranho e a Capitã Marvel. Os três personagens são elementos novos aos planos que a Marvel tem trabalhado até agora. O príncipe de Wakanda será o primeiro negro a protagonizar um longa do estúdio, algo que pode ficar no subtexto da produção, principalmente se o vibranium do país africano for o objetivo dos vilões.

Mas é com a apresentação do Mago Supremo que a Marvel tem o objetivo mais complicado. O lado místico da Marvel ainda não foi trabalhado, nem mesmo nos poderes da Feiticeira Escarlate, fazendo com que Benedict Cumberbatch seja um reflexo do público. Outro desafio é produzir o filme da Capitã Marvel, já que a empresa ainda não conseguiu colocar uma mulher no papel principal e já recebeu críticas por não ter bonecos de Viúva Negra e Gamora entre os produtos no mercado. Como a origem da personagem tem elementos espaciais, provavelmente Os Guardiões da Galáxia sejam a ponte ideal para a inclusão de Carol Danvers.

Pantera Negra

A desconstrução que os Irmãos Russo começaram em Guerra Civil não fica presa apenas ao próprio longa ou ao trazer novos rostos às telonas, ela ainda tem a essência de desesperança que Vingadores: Guerra Infinita - Parte 1 pode trabalhar, já que este é o momento que tende a culminar com a possível vitória momentânea de Thanos. Como o confronto versus o Titã Louco está dividido em dois filmes, o primeiro deve ser bem mais sombrio e deixar o vilão mais próximo do seu poder máximo, mesma tática usada pela Warner Bros com Harry Potter.

Esta transição entre os personagens base dos Vingadores para novas produções mostra que a Marvel Studios tem como objetivo continuar a lançar filmes baseados nos quadrinhos da editora por muitos anos, principalmente depois que Guardiões da Galáxia e Homem-Formiga perderam o aspecto de apostas e se tornaram grandes sucessos dessa leva de longas baseados em heróis. Seja com Homem de Ferro e Capitão América de lado opostos, no colegial ao acompanhar um gênio repleto de poderes e responsabilidades ou na jornada de um cirurgião arrogante pelo plano astral, fica a certeza de que haverá muito Universo Cinematográfico da Marvel nos próximos anos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.