Como os cortes de Esquadrão Suicida atrapalharam o sucesso do filme

Por Redação | 08.08.2016 às 11:07
photo_camera Divulgação

O filme do Esquadrão Suicida dividiu bastante a opinião do público. Ao mesmo tempo em que muita gente gostou do que viu, outros tantos saíram bastante decepcionados do cinema após ver mais um filme mediano da DC. Depois de uma série de ótimos trailers, a expectativa em torno do longa era altíssima, mas o que vimos foi algo pouco memorável — tanto que você mal vê as pessoas comentando sobre o longa, diferentemente do que vimos em lançamentos anteriores.

E uma das possíveis justificativas para esse misto de opiniões foi a própria edição do longa. Assim como já havia acontecido em Batman vs Superman: A Origem da Justiça, a montagem final do filme deixou muita ponta solta e não explorou personagens que poderiam ser melhor desenvolvidos. Tanto que o próprio ator Jared Leto veio a público dizer que muitas das cenas que ele gravou para o Coringa não foram para a versão que chegou às salas de cinema. O curioso é que muitos desses momentos tinham sido apresentados nos trailers.

Prova disso é a cena em que ele aparecia ameaçando um dos guardas da prisão de Belle Reve dizendo que gostaria de mostrar seus brinquedos. A fala enlouqueceu muitos fãs, mas acabou ficando de fora da versão final do filme por alguma razão e não nos deixou ver o quão louco é esse Coringa — algo que realmente fez muita falta. Ele também não apareceu com a granada na boca, como mostrado em outro vídeo de divulgação, e suas interações com a Arlequina também foram reduzidas. Em um dos trailers apresentados anteriormente, a garota discutia com o vilão e lhe acertava um tapa no rosto, o que acabou ficando de fora do corte final. Esse conflito poderia ser explorado de diferentes formas, seja para mostrar a influência do criminoso sobre a garota ou mesmo para reforçar a insanidade da dupla, mas acabou sendo apenas descartada.

Esquadrão Suicida

A cena da Arlequina imitando uma escopeta com seu bastão também foi cortada da versão final

Porém, a edição não prejudicou apenas os palhaços, mas também os outros personagens — e de uma maneira bem mais severa, pois comprometeu o desenvolvimento de cada um deles. A relação entre Rick Flag e June Moon, a Magia, foi abreviada, afetando diretamente o interesse do público com o casal. Você simplesmente não se importa com a garota porque ela mal tem tempo de tela, sendo que o romance dos dois já havia sido mostrado em vídeos, assim como os próprios poderes da Magia. A Katana é outra que se tornou irrelevante para o filme após os cortes. Nos trailers era possível ver uma participação muito maior da personagem, com direito até mesmo a mostrar suas habilidades especiais. No entanto, todos eles acabaram se tornando meros coadjuvantes, quase figurantes de luxo.

O curioso é que até o momento do bar, presente em praticamente todos os trailers, acabou sendo jogada no lixo. O momento em que cada membro do Esquadrão Suicida pede um tipo de bebida conquistou o público pelo seu humor, mas não foi inserido na edição exibida nos cinemas, o que deixou muita gente confusa. Tudo bem que ela não acrescentava nada à história, mas reforça a impressão de que o longa foi editado em cima da hora e, por conta disso, acabou criando essa quimera que não agradou.

Via: Omelete