IMAX Horizontal: novo formato de salas de cinema é sucesso na Coreia do Sul

Por Redação | 21.10.2013 às 08:30
photo_camera Divulgação

Mesmo que não entreguem uma experiência realmente imersiva na maioria dos filmes, grandes produções de Hollywood adoram testar novos formatos de exibição nas salas de cinema, como o IMAX, o 3D e o 4D. E uma novidade vinda lá da Coreia do Sul promete expandir essas tecnologias.

Desenvolvido pela rede sul-coreana de cinemas CJ CGV, o ScreenX é um novo formato de exibição com uma proposta simples: aumentar o tamanho das telas para as laterais da sala e assim dar uma visão panorâmica de 270 graus na hora de assistir o filme (o IMAX tem uma vista máxima de 146 graus).

Segundo o DVICE, a companhia chama o formato de IMAX Horizontal e tem o objetivo de estimular os globos oculares dos espectadores. "Queremos que o ScreenX vá além da experiência 3D e 4D dos cinemas atuais", disse An Goo-Choul, diretor de estratégia da CJ CGV. Hoje, existem 40 salas de cinema na Coreia do Sul equipadas com a tecnologia.

O pessoal do site SlashFilm já assistiu à demonstração de alguns filmes no ScreenX, e descreveu a sensação como "uma combinação entre o IMAX e um tipo incomum de 3D, no qual sua visão periférica está recebendo imagens com muito mais profundidade". O primeiro filme gravado pensando nessa novidade já existe e se chama The X (trailer abaixo).

Claro que para dar certo é preciso que as produtoras de cinema se adequem ao novo formato. Algo que deve demorar um bom tempo, pois o processo de filmagem de um longa-metragem usando essa tecnologia é diferente do tradicional. A troca de padrões implicaria na mudança de diversos equipamentos, assim como aconteceu quando o 3D chegou ao mercado.

Também é preciso levar em consideração o quão difícil está sendo a adatapção dos 24 aos 48 quadros por segundo, tanto por parte dos cineastas quanto do público. "O Hobbit - Uma Jornada Inesperada", por exemplo, foi o primeiro filme lançado com o padrão de 48 quadros e não agradou a muita gente por ser "realista demais". Para especialistas, as pessoas ainda não estão acostumadas com toda essa riqueza de detalhes, nem com o efeito que ela dá nos personagens.