Filme "A Entrevista" gera US$ 15 milhões em vendas online

Por Redação | 29 de Dezembro de 2014 às 11h47

Apesar do vazamento inesperado do filme "A Entrevista", a Sony Pictures tem motivos para comemorar a repercussão e o resultado de sua produção. Depois de disponibilizá-lo em diferentes plataformas online, a empresa anunciou que o filme faturou mais de US$ 15 milhões (cerca de 40 milhões de reais) em vendas online. Além disso, outros US$ 2,8 milhões foram arrecadados em cinemas, de acordo com o Business Insider.

O resultado é certamente um retorno acima do esperado pela Sony Picutres, que temeu ter um prejuízo de US$ 90 milhões com o cancelamento do filme. O sucesso certamente teve ajuda da publicidade criada em torno do ciberataque supostamente cometido pela Coreia do Norte.

Neste último domingo, 28, o estúdio afirmou que o filme foi alugado e comprado pelas plataformas disponibilizadas mais de 2 milhões de vezes em quatro dias. Este resultado transformou-se em um recorde para a Sony Pictures, sendo o maior filme online do estúdio de todos os tempos. O sucesso pode ser ainda mais comemorado visto que os resultados não incluem as vendas realizadas no iTunes. A loja da Apple só disponibilizou o filme neste domingo, sem que ainda pudessem ser incluídos seus resultados no comunicado da Sony Pictures. No iTunes, os preços são semelhantes aos das demais plataformas, sendo US$ 5,99 para alugar e US$ 14,99 para compra.

"A Entrevista" estreou em 331 cinemas independentes com uma bilheteria de US$ 1 milhão, arrecadando ainda US$ 1,8 milhões nos três dias posteriores. Enquanto isso, no entanto, o longa já foi pirateado 1,5 milhões de vezes em seus dois primeiros dias, segundo estimativa do Torrent Freak.

A Sony havia tentado um acordo com a AMC e a RegalEntertainment para a exibição do filme em suas salas de cinema. No entanto, por conta das ameaças de violência de hackers, ambas se opuseram ao lançamento, forçando a Sony a tentar um lançamento limitado em cinemas independentes e a comercializá-lo também nas plataformas online.

O estúdio foi severamente criticado pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que considerou a decisão da Sony um "erro". A companhia, no entanto, afirma que não tinha outra escolha senão alterar o lançamento e disponibilizá-lo em plataformas alternativas.

Fonte: http://www.businessinsider.com/the-interview-online-sales-2014-12?op=1

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.