Com Benedict Cumberbatch, filme sobre Alan Turing chega aos cinemas em novembro

Por Redação | 22 de Julho de 2014 às 13h15
photo_camera Divulgação

Depois de viver Julian Assange no filme que contou a história do fundador do WikiLeaks - e que acabou sendo um fracasso de bilheteria -, Benedict Cumberbatch irá encarnar outra personalidade do mundo da tecnologia nas telas do cinema. Desta vez, o astro da série Sherlock viverá o matemático britânico Alan Turing, considerado o pai da informática moderna e responsável por decodificar os códigos utilizados pelo exército alemão.

Intitulado The Imitation Game ("O Jogo da Imitação", na tradução livre), o filme terá como foco o trabalho de Turing na Segunda Guerra Mundial, fundamental para a vitória dos Aliados, e sua contribuição para a história da informática como um todo. O título também contará detalhes da vida pessoal do matemático, que enfrentou problemas em sua época por ser homossexual, o que era proibido na Inglaterra e punido criminalmente.

Além de Cumberbatch, o filme conta com grandes nomes no elenco, como Keira Knightley (Piratas do Caribe), Matthew Goode (Watchmen) e Charles Dance (Game of Thrones), enquanto a direção é do cineasta norueguês Morten Tyldum. The Imitation Game chegará aos cinemas britânicos em 14 de novembro e no mesmo mês também nos Estados Unidos. Ainda não há previsão de estreia no Brasil. Assista abaixo ao primeiro trailer:

Turing é considerado um dos pais da "era da informação" e pioneiro em códigos computacionais. Trabalhou no Quartel General de Comunicações do Governo (GCHQ), em Bletchley Park, para ajudar os Aliados durante a Segunda Guerra Mundial a decifrar os códigos Enigma, mensagens criptografadas trocadas entre a marinha alemã e que eram consideradas indecifráveis. Alguns historiadores apontam o feito como uma das principais contribuições para a queda de Adolf Hitler, sem contar que ajudou a encurtar a guerra em até dois anos.

Turing morreu em 1954, aos 41 anos, vítima de envenenamento por cianeto. A morte foi classificada pelo legista como suicídio, mas estudiosos, biólogos e até a própria família do matemático concluíram que ele faleceu de intoxicação devido aos remédios que tomava para cumprir sua pena. Além dos fortes medicamentos, o cientista sofreu castração química por ter se revelado homossexual, ilegal no Reino Unido até 1967.

Outras contribuições do matemático incluem o famoso teste de Turing, em vigor até hoje. A técnica consiste em dizer se uma máquina é ou não dotada de inteligência artificial, ou seja, se o aparelho é capaz de exibir comportamento inteligente, semelhante ao de um ser humano. Basicamente, Turing dizia que a melhor maneira de medir a sensibilidade artificial de uma máquina seria ver se ela consegue enganar as pessoas e fazer acreditá-las de que é humano, e não um aparelho.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.