Rússia e Estados Unidos podem trabalhar juntos na exploração de Vênus

Por Redação | 18 de Novembro de 2015 às 10h51
photo_camera Foto: Reprodução

Em tempos de descobertas sobre Marte, a humanidade volta os olhos para outro de nossos planetas vizinhos. Vênus, o mais próximo da Terra, pode ser o próximo destino das pesquisas espaciais, especialmente após um acordo de colaboração entre Rússia e Estados Unidos.

Até agora, a única certeza é um compromisso firmado entre a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (NASA), dos Estados Unidos, e o Instituto de Pesquisa Espacial da Rússia (IKI) em torno da missão Venera-D. O projeto prevê lançamento durante a década de 2020 e pode levar à primeira aterrissagem em solo venusiano.

As duas instituições devem realizar diversas reuniões ao longo do próximo ano a fim de formatar melhor o projeto e decidir se ele será levado adiante ou não. Obviamente, a ideia não envolve o envio de tripulação para o segundo planeta mais próximo do Sol, mas apenas robôs que poderão descer e vasculhar a superfície de Vênus.

Iniciativa russa

A proposta da parceria foi feita pelos russos, que já possuem alguma experiência no assunto e vêm elaborando este novo projeto há mais de uma década. O Venera-D seria um herdeiro da missão Vega, realizada ainda na época da União Soviética e que consistia em voos pela atmosfera venusiana a fim de coletar amostras.

De acordo com o Space Flight Now, a missão Venera-D terá foco em observações atmosféricas, além de mapeamento e medições de composição da superfície e busca por atividades vulcânicas no planeta vizinho.

Fonte: Space Flight Now

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.