Ranking dos cientistas mais influentes do mundo conta com quatro brasileiros

Por Redação | 26.02.2016 às 08:37

Você saberia dizer quais são as melhores e mais brilhantes mentes científicas da atualidade? Com aproximadamente nove milhões de pesquisadores em todo o mundo fica difícil fazer uma lista de cabeça, mas a editora Thomson Reuters fez essa análise por nós.

O relatório “As mentes científicas mais influentes do mundo 2015” traz 3.126 nomes de grande influência na comunidade científica, cada um em sua área de atuação. O mais legal é que, desse número, quatro são brasileiros: Ado Jorio, da área de Física da Universidade Federal de Minas Gerais; Adriano Nunes-Nesi, do setor de Ciências das Plantas e dos Animais da Universidade Federal de Viçosa; Álvaro Abezum, da Medicina Clínica do Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese; e Paulo Artaxo, da área de Geociências do Departamento de Física da Universidade de São Paulo.

As mentes científicas mais influentes do mundo

Aldo Jorio, Ariano Nunes-Nesi, Álvaro Abezum e Paulo Astaxo (Reprodução: Capes)

A elaboração do ranking foi baseada em um critério principal: a análise dos artigos científicos mais citados entre 2003 e 2013 em 21 áreas de conhecimento. Os quatro pesquisadores brasileiros citados na lista têm presença garantida em diversas bases de pesquisa científica e acadêmica. Somente no Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), por exemplo, a busca por esses autores traz mais de 200 resultados para Ado Jorio; 120 publicações relacionadas a Adriano Nunes Nesi; 235 artigos de autoria de Álvaro Avezum, e mais de 500 resultados envolvendo o nome de Paulo Artaxo.

As mentes científicas mais influentes do mundo

O levantamento da Thomson Reuters considerou as mais diversas áreas científicas, com destaque para a Medicina Clínica, Biologia e Bioquímica, Química, Genética e Biologia Molecular, Ciências das Plantas e dos Animais, Engenharia e Neurociência, que renderam o maior número de especialistas em destaque. Outras áreas analisadas incluem Ecologia, Farmácia, Física, Imunologia, Psicologia, Psiquiatria, Ciências da Computação, Matemática, Microbiologia, Ciências Espaciais e Economia.

Fonte: Capes