O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/12/2019)

Por Patrícia Gnipper | 03 de Dezembro de 2019 às 20h10
Planetário Pequim

Toda semana, muita coisa boa acontece no "mundão" da ciência, e, aqui no Canaltech, nós acompanhamos todas as novidades, trazendo a vocês o que está rolando de mais relevante em áreas como astronomia e saúde. Agora, chegou a hora de fazermos o "resumão" semanal com as principais notícias científicas dos últimos dias. Vamos lá?

Cometa interestelar tem cauda enorme, mas arrisca ser destruído

A cauda do 2I/Borisov e, à direita, a comparação dessa cauda com o tamanho da Terra

O visitante interestelar 2I/Borisov está passeando pelo Sistema Solar, e uma nova foto nos revela uma cauda enorme com quase 160 mil quilômetros de extensão. A cauda do cometa tem cerca de 14 vezes o diâmetro da Terra!

Mas é possível que nosso visitante ilustre não sobreviva à medida em que se aproxima do Sol. Cientistas acreditam que o cometa proveniente de outro sistema estelar será desintegrado no periélio — o ponto de maior aproximação com o Sol —, o que deve acontecer agora em dezembro. Caso ele sobreviva, continuará sua jornada em nosso quintal espacial por mais ou menos um ano, quando nos deixará para nunca mais voltar.

Dependência de celular é vista como distúrbio psiquiátrico

Pelo menos 23% das crianças e jovens adultos sofrem da chamada dependência do celular, o que vem sendo encarado como um distúrbio psiquiátrico pela comunidade médica. Mais de 40 estudos sobre o tema foram analisados recentemente, e a conclusão é que jovens de até 25 anos são os mais afetados. Sintomas como sensação de pânico quando o aparelho não está disponível, ansiedade e dificuldade para gerenciar atividades do dia a dia por passar muito tempo no celular são frequentes nestes casos.

Buraco negro "que não deveria existir" é encontrado na nossa galáxia

O buraco negro LB-1 não deveria existir — porém, foi encontrado na Via Láctea. Pesquisadores avistaram o buraco negro com 70 vezes a massa do nosso Sol, algo duas vezes maior do que a massa estimada para um buraco negro presente em nossa galáxia. A teoria atual dita que não pode haver restos de uma estrela com mais de 20 vezes a massa do Sol na Via Láctea, mas "agora os teóricos terão que topar o desafio de explicar essa formação”, nas palavras de um cientista que participou do estudo.

Encontrados destroços de nave indiana na Lua

Enfim, a NASA encontrou os destroços do módulo de pouso Vikram na Lua. A nave fez parte da missão indiana Chandrayaan-2 e, durante a descida, os controladores em Terra perderam o contato com o equipamento, e somente depois foi confirmada a colisão.

A agência espacial dos EUA usou a sonda orbital LRO para capturar as imagens. Na foto acima, os pontos verdes indicam restos da nave que ou já confirmados ou ainda estão em processo de confirmação, enquanto os pontos azuis mostram onde o solo foi impactado pela colisão.

Provando que a microgravidade inibe crescimento de tumores

Pesquisadores australianos enviarão à Estação Espacial Internacional (ISS) um experimento para provar que a microgravidade inibe o crescimento de tumores — algo que testes em laboratório aqui na Terra já mostraram ser possível.

Pesquisas recentes concluíram que as células cancerígenas se conectam por meio de forças mecânicas, sendo que elas evoluíram para funcionar no ambiente onde há gravidade (a Terra). Então, a equipe começou a pensar em como impedir a atuação de tais forças, e a resposta pode estar justamente na microgravidade do espaço. O experimento na ISS será feito por uma semana no início do ano que vem.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.