O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/07/2018)

Por Patrícia Gnipper | 03 de Julho de 2018 às 19h32
photo_camera NASA

Terça-feira é o dia da ciência e da astronomia aqui no Canaltech, com a gente trazendo um resumo com as principais notícias científicas dos últimos dias. Descobertas históricas, estudos e até novo telescópio em construção fazem parte das notícias da semana, então vamos lá:

Arquivo de fotos da missão Rosetta

Lançada pela ESA (a agência espacial europeia) em 2004, a missão Rosetta teve seu destino traçado para o cometa 67P. Agora, a agência completou seu arquivo de fotos da missão, que está disponível para consulta e download gratuitamente. O arquivo conta com mais de 100 mil imagens registradas ao longo da missão.

Uma das belas imagens do cometa 67P (Foto: ESA)

Encélado rica em moléculas orgânicas complexas

Confirmando o que já se suspeitava, Encélado (lua de Saturno) abriga uma grande quantidade de moléculas orgânicas complexas em seu oceano subterrâneo. As moléculas foram confirmadas nas plumas de água salgada que são expelidas por gêiseres posicionados na crosta do satélite natural.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Vale lembrar que Encélado contém, além de carbono, outros elementos essenciais para a formação de vida, como água líquida, energia, hidrogênio, nitrogênio e oxigênio, faltando apenas fósforo e enxofre para a equação ficar completa.

Essas plumas de água são expelidas da crosta de Encélado (Imagem: NASA)

Japão estudando asteroide

A sonda Hayabusa 2, da JAXA (agência espacial japonesa), chegou a seu destino: o asteroide Ryugu, cujo formato se assemelha ao de um diamante. A sonda coletará amostras do objeto, trazendo-as para a Terra para que os cientistas façam as devidas análises — o que deve acontecer em 2020.

Arte mostra a Hayabusa 2 ao lado de Ryugu (Imagem: JAXA)

Marte pode ter sido habitável muito antes da Terra

Um novo estudo indica que Marte pode ter completado sua evolução planetária, sendo habitável há cerca 100 milhões de anos antes de como aconteceu com a Terra.

Segundo Linda Elkins-Tanton, cientista planetária da Arizona State University, "colocando as linhas do tempo em perspectiva, se o Sistema Solar tivesse apenas um dia de idade, Marte teria se formado completamente nos primeiros seis minutos".

Será que Marte um dia já teve mesmo uma aparência deste tipo?

Novo telescópio caçando asteroides

A gente tem conhecimento de milhares de asteroides que rondam o Sistema Solar, mas vez ou outra algum deles nos surpreende. Exemplo disto foi o ocorrido em 2013, na Rússia, quando um asteroide explodiu no céu ao entrar na atmosfera de nosso planeta — e ninguém fazia ideia de que o objeto de 20 metros de diâmetro se chocaria contra a Terra naquele dia.

Então, para evitar novas surpresas do tipo, uma equipe de centenas de cientistas está unida pra finalizar a construção do Large Synoptic Survey Telescope (LSST), que será essencial para caçar asteroides ao nosso redor. O LSST terá uma missão de 10 anos para observar a mesma área do céu procurando por objetos que possam mudar de posição. Afinal, qualquer coisa que se mova em um período de apenas uma hora, deve estar perto o suficiente.

Concepção artística de como será o Large Synoptic Survey Telescope (Imagem: LSST)

Imprimindo tecido cardíaco humano

A impressão 3D já vem sendo aplicada para diversas finalidades na medicina, como, por exemplo, implantes "ósseos". Agora, pela primeira vez, a ciência conseguiu imprimir tecido cardíaco humano totalmente funcional, o que pode, em um futuro próximo, ser usado no tratamento de pacientes que sofrem de insuficiência cardíaca aguda, restaurando a contratilidade miocárdica perdida.

Fotografando o nascimento de um planeta

Pela primeira vez na história, conseguimos fotografar o instante em que um planeta está "nascendo". O exoplaneta PDS 70b é um gigante gasoso maior do que Júpiter, e, na imagem, podemos ver o momento em que o planeta atravessa o gás e a poeira ao redor de sua estrela (o círculo preto).

Eis a imagem histórica (Foto: European Southern Observatory)

Primeiros animais da Terra causaram aquecimento global

Há mais de 500 milhões de anos, a evolução dos primeiros animais da Terra causou um aquecimento global, segundo uma nova pesquisa. Com a vida animal evoluindo no oceano, houve uma intensa quebra de material orgânico no fundo do mar, levando grandes quantidades de dióxido de carbono (e menos oxigênio) para a atmosfera.

China construindo foguete superpoderoso

A China está trabalhando na construção de um foguete superpoderoso, que seria capaz de entregar cargas ainda mais pesadas à órbita da Terra do que a NASA, hoje, é capaz de fazer. O foguete Long March-9 poderá transportar 140 toneladas para o espaço, o que deve começar a acontecer até o ano de 2030.

Em termos comparativos, o Falcon Heavy, da SpaceX, é capaz de levar 64 toneladas em um lançamento, enquanto o Space Launch System, da NASA (que entrará em operação em 2020), tem capacidade para 130 toneladas.

Urano teve seu destino alterado por um planeta misterioso

A estranha órbita de Urano pode, enfim, ter sido explicada. Pesquisadores usaram simulações computacionais para concluir que, talvez, o planeta gasoso tenha sido atingido lateralmente por um planeta errante cuja massa poderia ser duas vezes a da Terra.

Enquanto os demais planetas do Sistema Solar têm Norte e Sul mais ou menos apontados na mesma direção, Urano tem seu eixo norte-sul inclinado a 98 graus do plano orbital do Sol. E este impacto hipotético, ao menos matematicamente falando, explicaria a órbita peculiar de Urano. O evento teria acontecido há cerca de 4 bilhões de anos, e seria suficiente para explicar outros mistérios sobre o planeta, como, por exemplo, seus delicados anéis equatoriais e seu sistema de luas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.