NASA libera imagens de Marte capturadas por satélite nos últimos 10 anos

Por Redação | 11 de Março de 2016 às 14h15

Apesar de todo o nosso interesse por Marte, o planeta continua sendo um estranho desconhecido para nós. Muita coisa já foi descoberta sobre nosso vizinho vermelho, é verdade, mas ainda há diversos mitos e conceitos equivocados que mantemos sobre ele. Desde sua coloração avermelhada às próprias condições em sua superfície, muito do que achamos conhecer sobre o astro vêm muito mais da ficção científica do que de análises astronômicas reais.

Para quebrar um pouco desses mitos que há tanto tempo construímos sobre o planeta vermelho, a NASA trouxe um vídeo bem interessante com vários descobertas e detalhes sobre Marte que foram observadas a partir do Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), um satélite de reconhecimento enviado ao espaço para observar e estudar um pouco mais sobre o planeta. Ao longo de exatos 10 anos, ele acompanhou a órbita de Marte, observou suas principais características e permitiu que cientistas pudessem estudar alguns desses detalhes a partir de imagens enviadas semanalmente para a Terra.

As imagens capturadas são realmente estonteantes, com direito a cenas únicas. O satélite registrou o momento em que avalanches aconteciam entre as cadeias rochosas, redemoinhos de areia e até mesmo dunas móveis, o que ajudou os pesquisadores a entender um pouco mais sobre o clima de nosso vizinho e o próprio comportamento de sua atmosfera.

Outro elemento identificado pelo MRO foi a presença de crateras recentes, o que revela que a superfície marciana continua sendo atingida por corpos espaciais, como asteroides e meteoros. Além disso, ainda mais importante, foi a detecção de marcas na areia e nas rochas que poderia indicar a presença de água líquida. São veios que cortam a pedra e sinais na poeira que, à primeira vista, realmente dão a impressão de que aquilo foi molhado em algum momento.

Essa foi, sem dúvidas, a maior descoberta do satélite. De acordo com o cientista responsável pelo projeto do MRO, Rich Zurek, a missão permitiu encontrar evidências de ambientes que poderiam ter sido úmidos em algum momento no passado e que muitos deles poderiam ser habitados. Isso não quer dizer que marcianos existiram no passado — pelo menos não foi encontrado nada disso — e nem que poderemos ir passar nossas férias lá no futuro, mas é um grande avanço nos estudos da história e no comportamento do nosso universo.

Ao todo, o Mars Reconnaissance Orbiter deu 45 mil voltas ao redor de Marte desde que chegou à sua órbita, em 10 de março de 2006. Para coletar todas essas informações, ele foi equipado com vários instrumentos específicos, incluindo a possibilidade de se comunicar e ajudar na transmissão de dados de sondas que estão na superfície de Marte. Atualmente, sua principal função é estudar possíveis locais no planeta em que missões tripuladas podem pousar e se estabelecer.

Via: Business Insider

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!