NASA financia projeto para transformar asteroides em naves espaciais

Por Redação | 06 de Junho de 2016 às 19h00

Dentro de alguns anos, os asteroides poderão ser transformados em verdadeiras naves espaciais gigantes e autônomas. Pelo menos é o que a NASA e a Made In Space esperam para a preparação da nova era de exploração espacial. De acordo com informações divulgadas nesta segunda-feira (6), a agência do governo norte-americano forneceu US$ 100 mil para estudos de viabilidade do conceito.

O projeto, conhecido como RAMA (Reconstituting Asteroids into Mechanical Automata), faz parte dos planos de longo prazo da Made In Space para auxiliar na colonização do espaço, abrindo portas para a mineração de asteróides de uma forma jamais vista anteriormente. A ideia é utilizar a tecnologia das impressões 3D para construir métodos de propulsão, navegação e armazenamento de energia, fazendo com que os asteroides se transformem em veículos autônomos capazes de se dirigir às estações de mineração mais próximas.

De acordo com a companhia, esse método seria mais simples e eficiente do que fazer lançamentos de novas sondas para a captura de cada rocha espacial a ter seus recursos explorados. É claro que o projeto exigirá grande esforço de seus realizadores e, para isso, contará com investimentos da NASA. Para o início do desenvolvimento da tecnologia, o RAMA recebeu como doação US$ 100 mil e receberá mais US$ 500 mil para a continuação do projeto após a validação da empresa sobre a possibilidade de instalar as ferramentas.

A previsão é de que os primeiros asteroides sejam transformados em espaçonaves entre 2030 e 2040. A justificativa de Jason Dunn, cofundador e diretor de tecnologia da Made In Space, é de que atualmente é possível levar recursos terrestres para fora do planeta, mas, quando se torna necessário trazer elementos do espaço à Terra, a questão se torna diferente. Em suas palavras sobre os recursos extraterrestres, precisa-se saber "de onde é que eles vêm, como podemos obtê-los e como podemos entregá-los para o local onde precisamos. Esta é uma maneira de fazer isso".

Fonte: Popular Science

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.