MIT cria robô capaz de antecipar epidemias ao inspecionar esgotos urbanos

Por Redação | 28 de Outubro de 2016 às 15h15
photo_camera MIT

Em breve, veremos robôs fazendo um trabalho bem sujo, mas que ao mesmo tempo será muito útil para prevenir surtos de doenças nas cidades. Ou seja, eles poderão antecipar epidemias e doenças antes que elas acontecessem.

Uma equipe de cientistas do Instituto Tecnológico de Massachussets (MIT) criaram um protótipo de robô chamado Luigi, que recolhe amostras dos esgotos urbanos, como fezes, para futura análise de todos os vírus e bactérias contidos nestes materiais.

O robô faz parte do projeto Underworlds, lançado em 2015 e formado por uma equipe de biólogos e pesquisadores dispostos a provar que as cidades podem fazer bom uso dos seus sistemas de águas residuais.

Os cientistas acreditam que, ao estudar a matéria fecal, é possível evitar a propagação de doenças transmissíveis, pintar um retrato da saúde coletiva de uma comunidade e até mesmo influenciar sua política. Segundo eles, as aplicações do projeto são diversas, tais como monitorar o índice de diabetes, bem como analisar o uso de drogas em uma população. A análise também pode fornecer informações sobre doenças infecciosas - como surtos de gripe - permitindo aos cientistas prever e mitigar os focos.

O robô Luigi tem a forma de um tubo e contém filtros. Ele pode ser guiado através de um aplicativo para iPhone para coletar as amostras em pontos-chave no sistema de resíduos de uma cidade. Os filtros que recolhem as amostras podem ser removidos para análise e substituídos para recolher novos dados. Vale ressaltar que o robô é limpo após cada utilização.

Até agora, foram construídos 10 protótipos do Luigi, que foram testados em esgotos de Cambridge, Massachusetts, Boston e Kuwait, como parte de um programa piloto que pode ser expandido para outras cidades em todo o mundo. O projeto já despertou interesse de governos municipais e ONGs na América do Norte e Europa. Incrível essa ideia, não?

Fonte: CNN