Missão do Inpe lançará satélites que colocarão Brasil em destaque

Por Redação | 15.05.2017 às 17:45 - atualizado em 15.05.2017 às 20:49

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) está trabalhando em uma missão que construirá uma série de satélites de médio porte que, após lançados, colocarão o Brasil entre as principais nações do mundo no que diz respeito ao desenvolvimento desses equipamentos. O primeiro, chamado Amazonia-1, deverá ser lançado ao espaço em 2018.

Parte de um projeto do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), o primeiro novo satélite do Inpe será capaz de fazer imagens de qualquer região do planeta em até cinco dias (período em que o objeto dará uma volta completa ao redor da Terra). A “Missão Amazônica” colocará em órbita outros dois satélites no futuro, após a construção da Plataforma Multimissão — estrutura-base para a fabricação de satélites de conteúdo nacional e de câmeras que fazem o sensoriamento remoto da superfície do nosso planeta.

A iniciativa surgiu por conta de uma demanda da Agência Espacial Brasileira (AEB). “Não temos no Brasil uma plataforma desse nível de complexidade e com essas características. Embora já tenhamos construído satélites antes, não tínhamos ainda o ciclo completo: projetar, integrar o satélite, testar, efetuar o lançamento e operar o equipamento”, declarou Adenilson Silva, coordenador do Programa de Satélites Baseados na PPM do Inpe. “Passamos a dominar o ciclo completo de satélites estabilizados em três eixos e conquistamos uma autonomia para o país”, completou.

Os dados capturados pelo Amazonia-1 poderão ser usados no controle de desmatamento e de queimadas na Amazônia Legal, e também servirão para monitorar recursos hídricos, áreas agrícolas, crescimento urbano e ocupação do solo. Ainda, as imagens do satélite brazuca servirão para atender aplicações como o monitoramento da costa brasileira, dos níveis de reservatórios de água, de áreas florestais e desastres ambientais.

Tecnologia produzida por brasileiros

Sob a supervisão do Inpe, as principais tecnologias empregadas no projeto são produzidas por empresas brasileiras, como a estrutura mecânica, o suprimento de energia, o controle de altitude, o tratamento dos dados, a gestão de bordo, o controle térmico, a telemetria, o telecomando, o rastreio e a propulsão.

As informações obtidas pelo Amazonia-1 ficarão à disposição da comunidade científica e de órgãos governamentais.