Inspirados por Star Wars, cientistas criam “pele eletrônica” que identifica tato

Por Ramon de Souza | 03 de Agosto de 2020 às 21h45

Cientistas de Singapura desenvolveram um curioso dispositivo capaz de identificar até 30 texturas diferentes e com maior agilidade do que o sistema nervoso humano; a ideia é que tal invento possa ser utilizado como uma espécie de “pele eletrônica” para próteses biônicas, permitindo que cidadãos com membros artificiais possam voltar a ter tato, sentindo temperaturas e até mesmo dor.

Batizado de Asynchronous Coded Electronic Skin (ACES), o dispositivo protótipo possui apenas 1 cm² e mais de 100 sensores que realizam a identificação da superfície em contato. Em uma demonstração, o Dr. Benjamin Tree, líder do projeto, provou que o equipamento é capaz de diferenciar uma esfera esponjosa (categorizando-a corretamente sua maciez) de uma esfera rígida de plástico.

“Os humanos precisam deslizar para sentir a textura, mas neste caso a pele, com apenas um toque, é capaz de detectar texturas de rugosidade diferente”, afirma Benjamin. O ACES seria capaz de identificar um total de 30 texturas e ainda poderia ser empregado para ler textos em braile com 90% de eficiência.

Reprodução/G1

O mais curioso é que a equipe de Benjamim se inspirou na mais recente trilogia da franquia Star Wars, na qual Luke Skywalker ostenta um braço mecânico que aparentemente lhe concede o dom do tato novamente. Apesar de ser um tanto promissora (e já contar inclusive com interesses de investimento por parte da comunidade médica), a tecnologia ainda está em fase experimental e vai demorar para ser disponibilizada de forma comercial.

Fonte: G1

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.