Focinho canino é recriado em impressora 3D para farejar bombas

Por Redação | 08.12.2016 às 11:25

O sistema olfativo dos cachorros é milhares de vezes melhor do que o dos seres humanos. Estes animais podem farejar drogas, bombas e até mesmo câncer, de acordo com alguns estudos. Pensando em todo esse potencial, pesquisadores resolveram recriar o nariz de um cachorro com a ajuda de impressão 3D.

Os profissionais do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST, da sigla em inglês) imprimiram um modelo que incluiu o vestíbulo nasal, o nariz externo, maxilar inferior e um focinho com cerca de 10 centímetros.

O sensor criado em laboratório é capaz de sentir odores até 10 centímetros de distância, enquanto a entrada de ar em torno do focinho permite que a tecnologia localize cheiros vindos de diferentes direções, o que o torna mais eficaz que a versão biológica presente nos cães. Isso significa que durante a fase inspiratória cada narina aspira o ar vindo de todas as direções.

"Podemos ver o cão como um sistema de amostragem aerodinâmica ativa, que literalmente alcança e captura odores. Os cães utilizam a dinâmica de fluidos para aumentar o alcance aerodinâmico de seu olfato, a fim de obter amostras de vapores em distâncias cada vez maiores", disse o líder do projeto, o engenheiro mecânico e especialista em dinâmica de fluidos Matthew Stayamates, do NIST.

"Com a aplicação desse princípio inspirado em um ser vivo, poderemos melhorar consideravelmente os mostradores de vapores para detectar explosivos, narcóticos, patógenos - e até mesmo câncer", afirmou o cientista.

Para desenvolver o nariz artificial, os pesquisadores usaram uma fêmea da raça Labrador Retriever como modelo para a impressão 3D.

Via Tech Crunch