Exoplaneta a 75 anos-luz da Terra tem chuva de ferro fundido

Por Redação | 05 de Novembro de 2015 às 08h15
MPIA/V CH Quetz

Perto do que acontece no exoplaneta PSO J318.5-22, até mesmo as tempestades mais devastadoras que acontecem na Terra são “fichinha”. Isso porque, por lá, o clima é tão absurdo que ocorrerem intensas tempestades de areia e - pasmem - chuvas de ferro fundido.

O planeta localizado a 75 anos-luz do nosso tem dimensões equivalentes às de Júpiter (o maior planeta do nosso quintal espacial) e é chamado de “exoplaneta” por estar fora do Sistema Solar. A descoberta de suas condições meteorológicas é importante pois é uma das primeiras vezes que cientistas puderam determinar como é o clima de um planeta fora do nosso sistema.

PSO J318.5-22

Criação artística mostra como seria a aparência do PSO J318.5-22 (Reprodução: MPIA/V Ch Quetz)

Assista Agora: Gestor, descubra os 5 problemas que suas concorrentes certamente terão em 2019. Comece 2019 em uma nova realidade.

Os astrônomos utilizaram instrumentos com tecnologia infravermelha no New Technology Telescope, do European Southern Observarory (ESO), localizado no Chile, e descobriram que o brilho do planeta apresentava variações constantes. Essa variação poderia ser devido a nuvens de ferro fundido se movimentando na atmosfera do exoplaneta, e então a equipe começou a se dedicar para confirmar a suspeita. Após observações e estudos, os cientistas determinaram que a cor avermelhada do PSO J318.5-22 se dá devido a gotículas de ferro e silicato que se condensam nas nuvens de sua atmosfera, e análises sugerem que essas nuvens são extremamente espessas, se estendendo até o topo da camada atmosférica.

Segundo a Dra. Beth Biller, líder do estudo realizado na escola de física e astronomia da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, “a descoberta mostra quão onipresentes são nuvens em planetas e objetos similares”. A doutora conta que a equipe está “trabalhando para estender a técnica [usada no PSO J318.5-22] para outros planetas gigantes ao redor de estrelas jovens” e também disse que esperam detectar as condições meteorológicas em exoplanetas similares à Terra que potencialmente poderiam abrigar a vida como conhecemos.

PSO J318.5-22

Imagem da descoberta do exoplaneta, que flutua pelo espaço sem orbitar nenhuma estrela (Reprodução: Divulgação)

O PSO J318.5-22 foi descoberto há dois anos e estima-se que sua idade seja de 12 milhões de anos. Como ele não orbita nenhuma estrela, provavelmente foi “expulso” de seu sistema solar durante algum incidente cósmico pouco após sua formação. A descoberta de seu clima foi publicada no The Astrophysical Journal, uma das publicações mais relevantes do meio científico.

Fonte: Daily Mail Online

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.