Estudo descobre por que Brasil não tinha grandes dinossauros

Por Redação | 17 de Junho de 2015 às 09h20

Por vários anos, cientistas e paleontólogos tentavam descobrir o motivo da ausência de grandes dinossauros herbívoros nos trópicos, como os Sauropodomorpha de pescoço longo. Agora, de acordo com pesquisas, a explicação é o clima imprevisível da região, que também abrange o Brasil.

Os pesquisadores reconstruíram o clima de mais de 30 milhões de anos atrás a partir de isótopos de carbono e oxigênio extraídos de rochas nos rios do Novo México, no sudeste dos Estados Unidos, no chamado Ghost Ranch, lugar em que já foram encontrados diversos fósseis de dinossauros.

Segundo o estudo publicado nos Anais da Academia Americana de Ciências, as rochas correspondem a um período entre 205 e 215 milhões de anos atrás, o que corresponde ao final do período Triássico. Os autores da pesquisa concluíram que além de ser instável, o clima nos trópicos era bastante quente e seco. Por isso, havia deficiência de dióxido de carbono, o CO2.

Os locais sofriam com períodos chuvosos por vários anos e depois recebiam o choque de uma seca tão severa que provocava incêndios, além de temperaturas que podiam chegar a 600 graus. O ambiente não era capaz de abrigar dinossauros como o Brachiosaurus, Diplodocus e Brontossauros e muito menos vegetação permanente.

Jessica Whiteside, paleontóloga da Universidade de Southampton, no Reino Unido, e uma das autoras do estudo diz que "as condições meteorológicas na época eram semelhantes às áridas que hoje reinam no sudeste dos Estados Unidos, mas com vegetação perto de rios e florestas durante os períodos úmidos".

"Este clima, com flutuações tão extremas, assim como os grandes incêndios que ocorreram periodicamente permitiram que apenas um pequeno dinossauro bípede carnívoro sobrevivesse, como o Coelophysis", completa.

Fonte: AFP

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.