Drones poderão transportar órgãos de transplante em áreas remotas

Por Redação | 06 de Novembro de 2016 às 20h57
photo_camera Divulgação

Os drones jã são uma tecnologia presente em alguns setores como segurança hoje em dia, entretanto outras áreas já estudam formas próprias de aproveitar os dispositivos voadores. Na Austrália, eles começarão a ser usados para transportar órgãos para transplante em área rurais e mais retiradas do país.

O Australian RPAS Consortium (ARC), grupo criado por seis grupos do setor de hardware, segurança e drones, em parceria com a Universidade de Sydney, criou o projeto Angel Drone, onde veículos aéreos não tripulados vão ser usados para o transporte de suprimentos médicos.

O primeiro teste foi com um drone que transportou amostras de sangue, e ele se provou capaz de levar a carga sem problemas, preservando as amostras nas condições e temperaturas corretas.

Segundo a ARC, a expectativa é que drones sejam capazes sejam transportar sangue para transfusões e órgãos para transplantes até o próximo ano.

"Assim que a regulamentação permitir, nós seremos capazes de transportar tecidos humanos, órgãos humanos e até mesmos pessoas usando drones", afirmou o neurocirurgião Charles Teo, da entidade.

Para a Angel Drone, o potencial para os chamados medi-drones é grande, principalmente em áreas onde é mais difícil encontrar atendimente médico rápido. Um exemplo: os drones podem ajudar a enviar antídotos para veneno de cobra em tempo hábil para evitar uma morte. Usando um helocóptero, que seria o meio mais rápido, custa cerca de US$ 80 mil para as autoridades médicas. Um drone poderia reduzir este custo.

Fonte: Mashable