Dia da Astronomia: relembre 8 descobertas e eventos astronômicos marcantes

Por Douglas Ciriaco | 08.04.2016 às 16:00 - atualizado em 08.04.2016 às 16:31
photo_camera R. Hurt/Caltech

A astronomia é uma ciência fascinante. Por meio dela, nós observamos o céu em busca dos mais variados corpos celestes, como galáxias, estrelas, cometas e planetas. Reconhecida como uma das ciências mais antigas da humanidade, ela esteve presente em diferentes fases da história humana, desde as civilizações mais antigas de que se tem notícia até as atuais agências espaciais que vasculham o espaço.

O dia 8 de abril é celebrado como o Dia Mundial da Astronomia, esta área do conhecimento que já nos apresentou a sistemas de planetas gigantes, às maiores estruturas já conhecidas do Universo e até mesmo a outros planetas potencialmente habitáveis.

Então, nada mais justo do que relembrar alguns dos principais eventos e descobertas astronômicos já registrados pelos seres humanos. Fizemos uma seleção básica, com ocasiões que englobam vários momentos distintos da história humana e que nem de longe pretendem ser “os mais importantes” de todos os tempos.

1. Cometa Halley (1696)

Cometa Halley

Última passagem do cometa Halley foi em 1986. (Foto: W. Liller/Nasa)

Há registro de astrônomos chineses observando um corpo celeste com as mesmas características desde 240 antes de Cristo. Contudo, o cometa mais famoso de todos os tempos só foi “descoberto” de fato em 1696, quando o astrônomo britânico Edmond Halley o reconheceu como periódico — o primeiro a ser definido como tal. Halley (o cientista) reparou que as características observáveis de um cometa de 1682 eram basicamente iguais às de outros dois corpos celestes descritos em 1531, por Petrus Apianus, e em 1607, por Johannes Kepler.

Assim, ele concluiu que os três objetos eram o mesmo e previu que ele era periódico, passando pelo nosso planeta de 76 em 76 anos (atualmente, este valor foi corrigido para entre 75 e 76 anos). Além disso, o cientista previu corretamente o regresso do cometa à Terra em 1758 — o astrônomo amador alemão Johan Georg Pallitzsch observou o cometa em 25 de dezembro daquele ano. Infelizmente, Edmond Halley já havia falecido em 1742 e não conseguiu ver a sua tese comprovada.

2. O Grande Cometa de 1811 (1811)

Grande Cometa de 1811

O Grande Cometa de 1811 ficou visível a olho nu por quase nove meses. (Foto: Reprodução/The Dispatch)

O início do século 19 foi premiado com a vista daquele que ficou conhecido como Grande Cometa de 1811. Descoberto pelo astrônomo francês Honoré Flaugergues, ele permaneceu visível a olho nu durante cerca de 260 dias, um recorde que só seria batido na segunda metade da década de 1990 pelo Hale-Bopp.

À época, a passagem do cometa foi um grande evento, especialmente devido ao seu núcleo enorme e extremamente ativo — estima-se que ele tivesse entre 30 e 40 quilômetros de diâmetro. O sucesso do corpo celeste foi tamanho que ele chegou a ser mencionado pelo escritor russo Leon Tolstoy em sua obra prima Guerra e Paz.

3. Cometa Hale-Bopp (1995)

Cometa Hale-Bopp

Cometa Hale-Bope causou até suicídio coletivo. (Foto: Reprodução/Linzer Astronomische Gemeinschaft)

Descoberto em 23 de julho de 1995, o Hale-Bopp é o cometa mais famoso de todo o século 20. Ele foi descoberto pela dupla de astrônomos estadunidenses Alan Hale e Thomas Bopp e as análises iniciais já indicavam um corpo celeste grandioso, afinal ele demostrava um brilho intenso mesmo a uma grande distância. A aproximação dele tornou tudo ainda mais incrível, afinal ele pôde ser observado a olho nu durante o período de 18 meses, brilhando mais do que o planeta Vênus.

Para se ter uma ideia do impacto e do ineditismo do Hale-Bopp, na época, rolaram alguns rumores de que o corpo celeste estaria sendo “perseguido” por uma nave alienígena. Com isso, 39 seguidores da seita Heaven's Gate cometeram suicídio coletivo no dia 26 de março de 1997, dia em que o Hale-Bopp alcançou o seu brilho máximo.

4. Alinhamento Planetário de 5 de maio 2000 (2000)

Alinhamento dos planetas

Planetas, Sol e Lua alinhados em 5 de maio de 2000: um evento relativamente raro. (Foto: Reprodução/Nasa)

Em 5 de maio de 2000, um evento bastante interessante pôde ser notado: Sol, Lua, Terra, Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno formaram quase uma linha reta entre si, um evento relativamente comum de acontecer, porém não assim, com tantos participantes. Muita gente pode ter pensado que tal alinhamento poderia ter consequências catastróficas para os planetas, mas não, afinal eles estão a uma boa distância entre si, o que impede que as forças gravitacionais interajam

Além disso, neste caso em específico, a Terra estava sozinha de um lado do Sol (acompanhada apenas pela Lua, obviamente), enquanto os demais planetas se encontravam do outro lado. Apesar da peculiaridade desta ocasião, este tipo de evento é bastante comum, já tendo ocorrido provavelmente milhões de vezes ao longo de toda a história do Sistema Solar. Outro alinhamento semelhante a este aconteceu em 2002, permitindo uma visão ainda mais clara do fenômeno (ele não foi ofuscado pelo Sol). Acredita-se que o próximo alinhamento aconteça apenas em 2040.

5. Eclipse solar marciano (2013)

Eclipse solar marciano

Eclipse solar marciano capturado pela Curiosity. (Foto: Reprodução/Nasa)

O eclipse solar é um evento relativamente comum na Terra, mas talvez você já tenha imaginado que ele também pode ocorrer em outros planetas, afinal eles também têm luas. Até pouco tempo atrás, a ideia não passava de uma possibilidade bastante plausível, mas pôde ser confirmada com a ajuda da sonda Curiosity. Em agosto de 2013, o robô da Nasa registrou o exato momento em que a Fobos, o maior satélite marciano, passou diante do Sol, bloqueando a luz solar e escurecendo o céu por alguns instantes.

6. O nascimento de uma lua de Saturno (2014)

Nascimento de lua em Saturno

Em abril de 2014, a Nasa divulgou imagens capturadas um ano antes pela sonda espacial Cassini. Aparentemente, elas indicam uma anomalia na ponta dos anéis de Saturno, o que os cientistas encararam como o exato momento do nascimento de uma nova lua. Vale lembrar que Saturno é famoso justamente pela grande quantidade de satélites naturais: antes deste, ele já contava com 62.

7. Eclipse visto do espaço (2014)

Eclispe visto do espaço

Imagens incríveis de um eclipse visto do espaço. (Foto: Reprodução/Esa)

Se presenciar um eclipse aqui da Terra já é algo incrível, imagine fazer isso do espaço. Foi o que aconteceu em 29 de abril de 2014, quando um eclipse solar parcial foi registrado a partir da Proba-2, uma espaçonave da Agência Espacial Europeia. Foram feitas quatro imagens que mostram o exato momento em que o Sol e a Lua bailam pelo cosmos.

8. Planeta Nove (2016)

Planeta 9

Aos poucos, o Planeta 9 começa a tomar forma. (Foto: R. Hurt/Caltech)

Em 2004 e em 2008, algumas evidências davam a ideia de que um campo gravitacional estaria interferindo na órbita de corpos celestes na parte externa do Sistema Solar. Em 2012, o cientista brasileiro Rodney Gomes, do Observatório Nacional do Brasil, descobriu que as órbitas de seis objetos do cinturão de Kepler eram mais alongadas do que o previsto, reforçando a possibilidade de atração gravitacional de um planeta distante.

Em 2014, pesquisadores do Instituto de Ciência de Carnegie e do Observatório Gemini, no Havaí, encontraram novas evidências para reforçar a tese. No início deste ano, astrônomos do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), entre eles o astrônomo Mike Brown, responsável por “matar” Plutão, encontraram uma assinatura gravitacional que indicava um objeto enorme orbitando o Sol a cada 20 mil anos.

Nesta semana, a dupla de cientistas Christoph Mordasini e Esther Linder, da Universidade de Berna, na Suíça, usaram simulações de computador para tentar esclarecer um pouco mais as coisas em relação ao possível novo planeta. Segundo eles, o Planeta 9 seria uma versão reduzida de Urano e Netuno, ou seja, um gigante de gelo envolvido em hélio e hidrogênio. Os cientistas supõem ainda que a temperatura no planeta não passaria de -226°C. “Com o nosso estudo, o candidato Planeta 9 é agora mais do que um simples ponto de massa, ele ganha corpo conforme passa a ter propriedades físicas”, declarou Mordasini.

Você se lembra de algum outro evento astronômico marcante? Escreva aqui embaixo, nos comentários!

Fontes: Space (1), Steamboat Adventure, Gea.org, Nasa (1), Nasa (2), Nasa (3), Space (2), DailyMail