Conheça a HyperCam, uma câmera capaz de mostrar detalhes invisíveis

Por Redação | 20 de Outubro de 2015 às 14h02
photo_camera Foto: Reprodução

Na hora de ir à feira ou comprar frutas no supermercado, cada pessoa tem um jeito diferente de determinar se o produto está em condições de consumo. Mas pesquisadores da Universidade de Washington e do Microsoft Research estão desenvolvendo um método diferente e que pode ser mais garantido na hora de examinar superfícies, como de uma fruta, por exemplo.

Batizada de HyperCam, a tecnologia em questão é baseada na "imagem hiperespectral", que reúne capturas de todo o espectro eletromagnético, combinando-as a uma nova imagem. Isso enquanto as câmeras simples capturam somente três faixas do espectro: vermelha, verde e azul.

Mayank Goel, principal autor da pesquisa, explica em um comunicado que quando uma pessoa visualiza uma cena ao olho nu ou em uma câmera comum, ela enxerga, em sua maioria, cores. "Você pode dizer: 'isso é um par de calças azuis", diz. Mas com uma câmera hiperespectral, a pessoa olha diretamente para o material real no qual o objeto é feito. "Você pode ver a diferença entre o denim azul e algodão azul".

No entanto, tecnologia hiperespectral não é algo novo e tem sido utilizada em aplicações industriais e em programas espaciais, como no AVIRIS (Airbone Visible/Infrared Imaging Spectrometer) da Nasa, em que a câmera grava imagens através de 224 bandas diferentes. A novidade deste projeto é que a Microsoft pode produzir câmeras acessíveis para o consumidor comum. Segundo um documento apresentado em uma conferência no Japão, a câmera deve custar cerca de US$ 800, mas é possível desenvolver um modelo que funciona com a câmera do smartphone por apenas US$ 50.

"Os sistemas existentes são caros e difíceis de usar, por isso decidimos criar uma câmera hiperspectral barata e nós mesmos a exploraremos. Depois de construir a câmera já começamos a apontá-la para objetos do dia a dia e estamos maravilhados com toda a informação escondida que ela revelou", comenta Neel Joshi, pesquisador da Microsoft.

Ao contrário da AVIRIS, a HyperCam dispara somente em 17 faixas, mas ainda é suficiente para mostrar detalhes bastante interessantes. Como mostra o vídeo abaixo, ela pode exibir imagens do que está acontecendo embaixo da pele das frutas.

Nos testes realizados, a HyperCam capturou imagens de 10 frutas diferentes e foi capaz de prever a sua maturação em cerca de 94% do tempo. A câmera também pode ser utilizada para fazer a identificação biométrica, usando a impressão digital para desbloquear smartphones e tablets. O dispositivo ainda conseguiu revelar padrões de veias e a textura da pele nas mãos das pessoas, permitindo a diferenciação de imagens de 25 pessoas com 99% de precisão.

HyperCam

Os pesquisadores dizem que o grande desafio agora é tornar a câmera acessível, sem contar que ela não possui um bom desempenho sob luzes brilhantes. Quando esse problema for resolvido, eles também devem se preocupar quanto ao tamanho, para que o dispositivo caiba em um telefone celular.

Fonte: Cnet

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.