Cientistas planejam minerar asteroides e construir cidades no espaço

Por Redação | 20.08.2015 às 10:07
photo_camera Foto: Reprodução

Um pequeno grupo de cientistas da companhia Deep Space Industries está tentando encontrar asteroides, aterrissar neles e perfurá-los. Parece ficção científica, mas o projeto está sendo analisado em um escritório no Ames Research Park, no Vale do Silício.

Os planos da empresa consistem em localizar os asteroides, estudá-los e enviar uma nave espacial para extrair os seus minerais. Tudo isso com o objetivo de criar cidades no espaço.

"O futuro que nós vemos, em 20 ou 30 anos, é que queremos apoiar pessoas construindo no espaço. Cidades com milhares de pessoas morando nelas. E para chegar nesse estágio você precisa de uma quantidade massiva de material", afirma Daniel Faber, CEO da empresa.

Além de caro, enviar materiais de construção da Terra não é algo eficiente e pode ser bastante perigoso. Faber comenta que as cidades espaciais não são levadas a sério hoje, mas acredita que a ideia se torna mais realista se as naves forem usadas apenas para levar os equipamentos mais complexos, enquanto as outras partes são construídas em órbita.

A expectativa de Faber é atingir os asteroides que estão em órbita ao redor do sol e que têm uma órbita semelhante à da Terra. Ele garante que "é fácil ir atrás deles e depois retornar".

O primeiro passo da Deep Space Industries é enviar uma pequena nave para pousar em um asteroide e, então, um robô pegaria amostras para analisar o mineral que for retirado das pedras. A nave deve voltar com centenas de toneladas de materiais, sendo o suficiente para fazer construções espaciais. "Nós fizemos as contas. Nós fizemos os planos e eles mostram que em dez anos isso é possível", diz Faber.

Porém, a mineração de asteroides pode acabar trazendo uma disputa legal espacial. Em 1967, a United Nations Treaty on Outer Space disse que nenhum outro país pode dominar um corpo celeste, mas não significa que empresas ou pessoas possam fazê-lo.

O CEO também acredita que as viagens espaciais devem se tornar rotina em breve. Fato que pode fazer sentido, pois existe uma outra companhia com a mesma ideia da Deep Space: a Planetary Reseources em Redmond, Washington, financiada por Eric Schmidt e Larry Page, do Google, Richard Branson e Charles Simonyi, ex-engenheiro da Microsoft.

Faber ainda compara a notícia com a chegada dos PCs nos anos 80. "Ninguém sabia [naquela época] porque todos poderiam querer um PC, parecia uma ideia maluca, mas pessoas começaram a vendê-los em suas garagens", finaliza.