Cientistas encontram caranguejos vivendo a mil pés de profundidade

Por Redação | 13.04.2016 às 16:38

Três cientistas desceram mais de mil pés em um submarino na costa do Panamá para explorar a Hannibal Seamont, uma montanha submarina com rica diversidade de animais e plantas raras. A expectativa era observar vários tipos de vida, mas o que eles encontraram foi realmente surpreendente.

O veículo dos cientistas, chamado Deep Rover 2, que parece uma bolha gigante e transparente, permite a visão de todos os ângulos, e com a ajuda de holofotes, eles encontraram milhares de caranguejos no fundo do oceano. A quantidade era tão grande que os cálculos mostram a presença de aproximadamente 75 caranguejos por metro quadrado.

Após capturarem alguns crustáceos, como não tinham certeza sobre a espécie, fizeram um exame de DNA que revelou que se tratava de planipes Pleuroncodes, também conhecidos como caranguejos vermelhos. O que torna a presença dos animais ainda mais estranha é que a região onde eles foram encontrados tem baixíssima concentração de oxigênio e está longe de seu habitat típico, na costa do México.

Ainda não se sabe o porquê de os milhares de caranguejos estarem naquela área, mas algumas hipóteses apontam para o acasalamento, alimentação — por ser uma área rica em plâncton —, ou por conta do El Niño, que levou milhares de caranguejos da mesma espécie para o sul da Califórnia.

Segundo os pesquisadores, essa foi a primeira vez que um número tão grande de caranguejos foi filmado em águas tão profundas. Confira os vídeos aqui.

Via: Ars Technica