Cientistas descobrem células sanguíneas intactas em fósseis de dinossauros

Por Redação | 11.06.2015 às 10:34
photo_camera Foto: Reprodução

Cientistas encontraram em materiais celulares de dinossauros o que parecem ser células vermelhas de sangue. A pesquisa foi feita em restos de tecidos moles com núcleo e fibras de colágeno em oito ossos de dinossauros do período Cretáceo, com mais de 75 milhões de anos, encontrados no Canadá.

As células de sangue estavam em uma garra do dinossauro carnívoro Gorgossauro, que possuía até nove metros de altura. Restos de tecidos moles já foram encontrados em fósseis no passado, mas somente em materiais bem preservados e muito raros. Uma equipe de pesquisadores do Imperial College London, que fez o estudo dos fósseis, afirma que a sobrevivência destes tecidos pode ser mais comum do que se achava anteriormente, quando se acreditava que moléculas de proteína entravam em processo de decomposição muito fácil, impedindo que sobrevivessem por quatro milhões de anos, por exemplo.

Garra Gorgossauro

"O que é particularmente interessante sobre o nosso estudo é que nós descobrimos estruturas que lembram células sanguíneas e fibras de colágeno em fósseis malconservados. Isso sugere que a preservação dos tecidos moles pode ser generalizada nos fósseis", explica a coautora de uma pesquisa júnior do Departamento de Ciência e Engenharia da Terra, Susannah Maidment.

Ela também diz que as primeiras indicações sugerem que esses fósseis malconservados podem ser úteis para que os pesquisadores entendam de maneira mais detalhada como os dinossauros evoluíram para criaturas de sangue quente e como espécies diferentes podiam ser parentes.

Os testes foram realizados com a ajuda de microscópios para observar as amostras fatiadas, usando um feixe de íon para fazer a averiguação das estruturas internas. Além destes fósseis, outros da coleção do Museu da História Natural de Londres parecem ter preservado restos de colágeno.

Fonte: CNET, Reuters