Cientistas criam pulseira para diabéticos que mede glicose no sangue via suor

Por Redação | 02 de Junho de 2016 às 21h10
photo_camera Reprodução/Daily Dot

Quem tem diabetes sofre toda vez que é preciso medir a taxa glicêmica do sangue. Mas, agora, parece que uma equipe resolveu acabar com o problema daqueles que não suportam mais as agulhadas rotineiras. Cientistas sul-coreanos criaram um bracelete de grafeno que é capaz de monitorar os níveis de glicose e pH do sangue, sem picadas. Assim, os diabéticos ganham uma maneira mais conveniente de monitorarem o status da doença no corpo.

O acessório foi desenvolvido pelo Instituto de Ciências Básicas (IBS, na sigla original) da Coréia do Sul e é feito de materiais que são ativados de maneira eletroquímica por meio de uma malha de grafeno dourado. O dispositivo monitora a temperatura e o pH que afetam o sensor de glicose, permitindo que a pulseira monitore os níveis de açúcar no sangue utilizando o próprio suor do usuário. Os dados então são enviados para um aplicativo de smartphone que utiliza uma micro agulha para administrar doses apropriadas de medicação baseada na leitura dos dados coletados.

Atualmente, o método de teste de níveis de glicose no sangue é furar o dedo do paciente e utilizar a amostra de sangue em aparelhos de medição especializados. Esses dispositivos podem ser dolorosos e têm uma vida útil curta. Pensando nisso, a IBS espera que a nova pulseira possa ser utilizada para resolver estes problemas.

"A medição precisa da concentração de glicose no suor é utilizada para estimar os níveis de glicose no sangue do paciente. O dispositivo permanece com sua sensibilidade original depois de múltiplos usos, permitindo vários tratamentos. Ele leva uma média de 15 minutos para que a camada coletora de suor no aparelho consiga o material e examine o líquido", disse Kim Dae-Hyeong, um cientista no centro de pesquisa de nanopartículas da IBS.

Com o fim das pesquisas, quem sabe esse dispositivo não estará espalhado pelo mundo todo e ajudando pessoas nos próximos anos?

Via: Daily Dot