Cientistas criam enxerto que recupera vértebras quebradas

Por Redação | 21 de Março de 2016 às 11h40
photo_camera Reprodução/YouTube

Cientistas da Mayo Clinic, dos Estados Unidos, criaram uma esponja de polímeros que pode ser injetada dentro de ossos vertebrais danificados a fim de reestruturar a coluna de algum paciente. O material cresce automaticamente após ser implantado, adquirindo o formato e o tamanho de um osso. Ele é biodegradável e não deve substituir os implantes definitivos, como próteses criadas a partir de impressoras 3D, mas servirá como preenchimento temporário até que os ossos de vítimas de câncer possam se reconstruir sozinhos.

Quando um câncer se espalha pelo corpo a partir do local original do tumor, ele normalmente tende a se assentar na medula espinhal. Para removê-lo, os médicos retiram um pedaço do osso, deixando um buraco na coluna vertebral até que ele se regenere por completo. Então, é exatamente aqui que a esponja de polímeros da Mayo Clinic entra, ocupando este buraco até que tudo esteja normal e saudável outra vez.

“O objetivo geral desta pesquisa é encontrar maneiras de tratar pessoas com tumores medulares metastáticos”, revela a Ph.D. Lichun Lu, uma das pesquisadoras envolvidas no projeto. “A medula é o lugar mais comum das metástases esqueléticas em pacientes com câncer, mas, diferente dos tratamentos atuais, nossa abordagem é mais barata e menos invasiva.”

Para criar este novo método, os pesquisadores utilizaram um material que pode ser desidratado a fim de ter o seu tamanho reduzido. Com isso, ele pode ser adaptado ao buraco deixado pela vértebra removida e, então, passa a absorver fluídos do corpo para aumentar seu tamanho e assumir a forma exata do pedaço de osso que está substituindo. Agora, o próximo passo é realizar testes em cadáveres humanos a fim de simular um procedimento com pacientes. A ideia é que o método esteja disponível para o público já nos próximos anos.

Fonte: ACS