Cientista brasileiro usa laser para transformar ratos em "zumbis assassinos"

Por Redação | 18 de Janeiro de 2017 às 15h56

O neurobiólogo brasileiro Ivan de Araújo e sua equipe usaram lasers para desencadear o instinto predatório de um rato de laboratório. Isso significa que os pesquisadores conseguiram transformar ratinhos inofensivos e normalmente tímidos em assassinos eficazes.

Para conseguir essa façanha, eles trocaram os eletrodos por lasers e estimularam as amídalas cerebelosas do animal, uma região do cérebro faz parte do sistema límbico e é um importante centro regulador do comportamento agressivo e emocional.

Para estimular uma reação predatória, os cientistas posicionam a luz exatamente sobre essa região do cérebro do rato. A equipe usou uma técnica chamada optogenética, que é uma combinação entre luz, genética e bioengenharia que permite o estudo de circuitos neuronais e comportamentos atuando em células específicas. A reação após o estímulo luminoso é imediata.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

"Ligamos o laser e eles pularam em um objeto, segurando-o com as patas e mordendo-o intensamente como se estivessem tentando capturar e matar", explicou Ivan de Araujo, que é professor associado de psiquiatria na Faculdade de Medicina da Universidade de Yale.

Em seu estado normal, os ratos simplesmente ignoram os objetos que são colocados em suas gaiolas, mas quando o laser pulsa, eles o atacam imediatamente – inclusive alguns grilos vivos. O comportamento violento também cessa assim que o laser é desativo.

No entanto, apesar da comparação irresistível com zumbis, o cientista explica que a ativação do laser não induz os ratos a atacar uns aos outros e ele simplesmente aumenta o comportamento de caça natural.

Para quem ficou curioso em saber se o mesmo método pode ser usado para ativar o comportamento predatório em humanos, saiba que isso seria bem difícil. Para ativar as células cerebrais, o laser tem que incidir exatamente sobre eles, e isso requer que um cabo de fibra óptica seja implantado cirurgicamente no crânio.

Via NBC News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.