Torre gigantesca ajudará cientistas a monitorar a Amazônia

Por Redação | 18.09.2014 às 10:11

Uma construção maior do que a famosa Torre Eiffel (com 324 metros) irá monitorar a Amazônia. Com cerca de 325 metros de altura, a Torre Atto faz parte de uma parceria entre o Brasil e o setor científico da Alemanha e terá como objetivo analisar um dos ecossistemas mais importantes do mundo.

Com a torre, cientistas poderão obter dados inéditos sobre a influência da mata no clima da região. O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) e o órgão alemão Max Planck investirão pesado em equipamentos de alta tecnologia. Com isso, espera-se conseguir medir os impactos das mudanças de clima nas florestas da Amazônia por meio de ações de interação da atmosfera com a floresta.

Os dados coletados pela torre serão utilizados em pesquisas de química da atmosfera, processos de formação de nuvens e processos de transporte de energia e massa na atmosfera. A Atto será construída na Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Uatumã, em São Sebastião do Uatumã, segundo informou o Inpa.

O local foi escolhido baseado em estudos que tiveram como objetivo definir o melhor posicionamento para a coleta de dados.

Torre Atto

A atual torre de observação do Inpa tem cerca de 80 metros. Portanto, a Atto será quatro vezes maior do que a que existe atualmente e a primeira do tipo na América do Sul. Os equipamentos tecnológicos que serão instalados deverão funcionar 24 horas por dia durante um período de até 30 anos.

A Atto terá 325 metros de altura podendo chegar a 330 metros com o sistema de para-raios instalado. Haverá mais quatro torres menores de aproximadamente 80 metros em volta da Atto. Suas funções estarão ligadas a análise de fluxos e transportes horizontais.

Em nota emitida, Antônio Manzi, coordenador do projeto por parte do Brasil, afirmou que o Brasil e a Alemanha investirão R$ 7,5 milhões na construção da estrutura. O custo total para a construção de todo o projeto é de R$ 20 milhões. Tudo indica que a Atto iniciará suas atividades já em novembro deste ano.

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/tecnologias-verdes/2014/09/construcao-maior-do-que-a-torre-eiffel-ira-monitorar-a-amazonia.shtml