SpaceX quer dominar o Sistema Solar até início do próximo século

Por Redação | 28.07.2014 às 13:55

A batalha pela conquista do espaço já deixou, há muito tempo, de ser um campo no qual apenas governos e agências relacionadas a eles exploram. A SpaceX, uma das primeiras empresas privadas de exploração espacial, há muito tempo apresenta avanços significativos nesse sentido e, agora, parece estar disposta a deixar a NASA para trás, prometendo levar o primeiro homem a Marte até 2024.

Mais do que isso, a ideia é fazer com que a viagem seja tão “fácil” quanto é, hoje, viajar para a Lua. Esse é um dos grandes focos da SpaceX, e um dos principais pontos que a diferenciam de qualquer outra agência governamental de exploração: enquanto estas têm como interesse maior a pesquisa, a empresa privada pensa de forma comercial e, claro, quer se aproveitar do extremamente lucrativo negócio do turismo espacial, que por enquanto, oferece apenas voos orbitais.

A previsão foi feita pela presidente da companhia, Gwynne Shotwell, em uma entrevista para a rádio americana Marketplace. A ideia faz parte da maior ambição do CEO da companhia, Elon Musk, que acha a Lua "próxima demais" e tem a ideia de tornar as viagens espaciais humanas “multiplanetárias” tão simples quanto voar de avião até o outro lado do globo.

E é aí que vem a verdadeira previsão inusitada da SpaceX, que nenhum de nós estará vivo para ver transformada em realidade. Na visão de Shotwell, caso o atual progresso da corrida espacial se mantenha ao longo dos próximos anos, a empresa poderá estar presente em todo o Sistema Solar em algum momento entre 2100 e 2200, transformando em realidade aquilo que só é visto em filmes ou video games.

Como exatamente tudo vai acontecer, porém, ela não disse, o que fez com que as declarações da diretora se parecessem mais com um desejo da SpaceX que uma previsão concreta. Ainda assim, é uma ideia que faz parte de um dos planos iniciais da empresa: se tornar a maior operadora de transportes espaciais do planeta Terra. Ao falar isso, ela brincou, afirmando que o projeto de expansão também se relaciona à obtenção do mesmo título em todo o Sistema Solar.

Um dos principais focos para facilitar a corrida espacial privada, no momento, é a reutilização de foguetes. De forma a baratear os custos e acelerar os lançamentos, a SpaceX vem testando, com sucesso, o uso de foguetes capazes de retornar à Terra após o lançamento e “aterrissarem” com segurança no oceano, de onde poderiam ser recolhidos, recuperados e utilizados pelo menos mais algumas vezes em novos voos espaciais.