SpaceX adia novamente lançamento de foguete

Por Redação | 11.02.2015 às 14:42

A empresa norte-americana SpaceX abortou mais uma vez o lançamento do foguete Falcon9, esperado para a última terça-feira (10), devido a fortes ventos. Essa foi a segunda tentativa frustrada da companhia após dois dias de atraso. A SpaceX vai tentar um novo lançamento nesta quarta-feira (11), às 21h03, no horário de Brasília.

No domingo (8), a tentativa de lançamento foi adiada devido a problemas com um radar e um transmissor no primeiro estágio do foguete propulsor. Ontem (10) não houve problemas técnicos, mas os fortes ventos no Cabo Canaveral, Flórida, tornaram difícil a manobra segura da nave espacial.

Caso não aconteça nenhum outro imprevisto o lançamento de hoje pode ser histórico; nem tanto pela subida do foguete, mas sim pelo que vai descer. Isso porque a SpaceX irá tentar (mais uma vez) guiar e pousar o primeiro estágio de seu foguete Falcon 9 em uma estrutura no meio do Oceano Atlântico, para que ele possa ser reutilizado em outro lançamento. Pouco depois de sua decolagem, o foguete já terá retornado do espaço, e então a empresa tentará orientar sua descida por meio de um acompanhamento via GPS até o local desejado.

Se o lançamento de hoje for adiado, a próxima oportunidade só aparecerá no dia 20 de fevereiro. De qualquer forma, com 17 possíveis lançamentos de foguetes previstos para 2015, a SpaceX ainda terá muitas oportunidades de tentar pousá-los na Terra com segurança.

Foguetes reutilizáveis

Há cinco anos, uma tentativa de pouso como essa era inédita. Mas a SpaceX tem aberto o caminho para uma nova era de foguetes reutilizáveis. A empresa, fundada pelo bilionário Elon Musk, tem investido em projetos que possibilitem futuras viagens espaciais a um preço "acessível". A chave para o futuro, conforme destaca o Business Insider, são os foguetes reutilizáveis, uma vez que eles podem levar cargas e astronautas para o espaço várias vezes, em vez de uma única vez como acontece atualmente.

Até agora, a SpaceX nunca conseguiu recuperar um foguete após seu lançamento, e dessa vez será ainda mais difícil, porque a missão em questão irá levar um satélite de previsão e observação dos ventos solares para os confins do espaço.

Falcon 9

(Foto: Divulgação/SpaceX)

O sol emite rajadas de partículas de alta energia na forma de vento solar, e quando essas rajadas ocasionalmente atingem o campo magnético da Terra, podem interferir nas redes de energia do nosso planeta, bem como nos serviços de telecomunicação, aviação e GPS. Ter um satélite como esse em órbita é a "primeira linha de defesa" para que os cientistas consigam adotar as medidas adequadas para proteger nossos sistemas de qualquer impacto que esses ventos solares possam causar.

Depois que o satélite se separar do foguete no espaço, ele começará uma longa jornada de 110 dias até chegar a sua órbita final, enquanto o foguete volta para a Terra e a SpaceX tenta pousá-lo em segurança.