RoboCop da vida real pode ajudar policiais com problemas de mobilidade

Por Redação | 14 de Fevereiro de 2014 às 18h08

Uma equipe de graduandos de um laboratório da Florida International University, nos Estados Unidos, está trabalhando em um tipo de robô que pode ajudar policiais com problemas de locomoção e mobilidade a fazer o seu trabalho nas ruas. Apelidado de “RoboCop da vida real”, o modelo não chega a ser tão avançado como a tecnologia retratada no filme de 1987 ou no remake que deve chegar em breve aos cinemas, mas suas qualidades não são de se ignorar.

Com um pouco mais de 1,80 metros de altura, o protótipo combina recursos de telepresença e robótica para, eventualmente, permitir que policiais com deficiência possam trabalhar como agentes de patrulha. Construído “do zero”, de acordo com o Mashable, o robô funciona através de um Oculus Rift – dispositivo concebido, inicialmente, para jogos eletrônicos e que simula realidade virtual. O conjunto também possui um um colete de rastreamento de movimento, faixas nos braços e luvas.

Todo esse material é usado pelo policial, à distância, permitindo que ele tenha o ponto de vista do robô e possa controlar seus movimentos, incluindo o movimentos dos braços e as mãos mecânicas. O projeto foi concebido por Jeremy Robins, um tenente na Marinha dos EUA que doou 20 mil dólares para o projeto com a finalidade de ajudar seus amigos militares que se aposentaram por invalidez por conta das limitações físicas.

“Nosso próximo passo é aprimorar a couraça externa do robô, afinar o software e, finalmente, realizar testes de campo”, afirma Nagarajan Prabakar, professor associado na faculdade de Computação e Ciências da Informação da Florida International University.

RoboCop
Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.