Quais as verdades sobre o Aquecimento Global?

Por Willians Bini

Optei por colocar o título desse artigo como um questionamento pois esse tema ainda é cercado de muitas dúvidas e poucas certezas. Além disso, dentro do meio acadêmico e científico, existem muitas controvérsias. Afinal de contas, o planeta está mesmo passando por uma mudança climática relacionada ao aquecimento global?

O que me motivou a falar sobre esse assunto foi uma entrevista que eu dei essa semana para o programa JR News, na Record News, com o sensacional Heródoto Barbeiro. O tema da entrevista diz respeito a uma notícia que saiu na mídia mundial, sobre esse último mês de agosto (2012). De acordo com a Organização de Meteorologia Mundial, a OMM, agosto foi o segundo mês mais quente desde que os registros começaram a ser feitos pelo homem, em 1880. Essa temperatura é referente a uma média global, e não apenas a uma cidade ou país. De forma resumida: esse último agosto foi um dos mais quentes já registrados no planeta (pelo menos nos últimos 132 anos).

E o motivo que vem gerando bastante discussão é sobre qual o papel do homem nesse processo. De forma geral existem dois grupos de pesquisadores que defendem suas teorias. O primeiro assume que estamos em pleno processo de mudança nas condições do planeta devido a intervenção do homem nos processos naturais da Terra, especialmente quanto a emissão de poluentes. O outro grupo, chamados de “cético”, defende que ainda não temos dados suficientes para chegar a conclusão de que realmente o homem está mudando o planeta. Argumentam ainda que o que estamos vivenciando neste momento está dentro de uma variação natural e sazonal, na qual ainda não temos pleno conhecimento. Existem outros ciclos climáticos naturais que são bem conhecidos, como é o caso do El Niño e La Niña, cuja frequência é na escala de anos. Quem garante que não haja outros ciclos climáticos com frequência de séculos ou até milênios?

Sabemos por evidências que o planeta já passou por inúmeras mudanças climáticas, desde as chamadas Eras do Gelo, até períodos onde as temperaturas estiveram mais altas do que agora. E tudo isso antes da ação do homem. Mas da mesma forma, as mudanças recentes têm sido intensas, e mesmo que não sejam totalmente associadas ao homem, é motivo para nos preocuparmos.

Desde o início da Revolução Industrial, em meados do século 18, tivemos inúmeras mudanças tecnológicas com profundo impacto no processo produtivo em nível econômico e social. Todo avanço acaba tendo algum preço, e o homem explorou, consumiu e emitiu bastante nas últimas décadas.

Seja pela ação do homem, seja um variação climática natural, o que não tem como negar é a mudança no micro-clima que as grandes cidades vêm passando. Nesse caso a ação do homem é a total responsável: urbanização, emissão de poluentes, falta de áreas verdes, concretização (que altera o albedo da cidade, ou a quantidade de luz refletida por um corpo). Estes são alguns dos processos que afetam o micro-clima nas grandes metrópoles. São Paulo é um caso típico: medidas mostram que a cidade ficou mais quente nas últimas décadas, e a frequência de temporais acompanhou essa tendência. Quem acaba saindo prejudicado é a população.

Muita pesquisa ainda é necessária nessa área. Existem muitas perguntas ainda sem respostas. E voltando ao título desse artigo: quais as verdades sobre o Aquecimento Global? A resposta é que ainda não sabemos todas as verdades. O importante é que tenhamos consciência do que estamos vivenciando, e possamos usar a tecnologia que nos trouxe até aqui para, quem sabe, reverter esse cenário, ou na pior das hipóteses, facilitar nossa vida no planeta dentro desse processo climático, seja ele natural ou não.

* Willians Bini é colunista do Canaltech e sócio da empresa Somar Meteorologia, onde trabalha com modelagem atmosférica e projetos de consultoria ambiental.