Projeto de célula solar tem funcionamento semelhante à fotossíntese

Por Redação | 16.01.2014 às 15:01

Um grupo de pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, se inspirou na fotossíntese para conceber um novo projeto de uso de energia solar. Em vez de confiar nas já tradicionais baterias para armazenamento de força, a nova célula projetada por eles usa um processo semelhante ao da fotossíntese para liberar o oxigênio da água e guardar hidrogênio para ser usado posteriormente.

Como explica o Slash Gear, o processo acontece na DSPEC, sigla em inglês para “célula sensibilizada por corante fotoeletrosintética”. O produto de quase cinco anos de desenvolvimento é capaz de separar os elétrons contidos na água, permitindo que folhas de nanopartículas de titânio façam o processo de transformação do hidrogênio em energia para ser utilizada.

De acordo com a Universidade, apesar de complexo, todo o processo é baseado em tecnologia já existente, o que significa que ela já pode ser aplicada de maneira prática. Além disso, os pesquisadores apontam que se trata de um método mais eficiente de estocar energia que o usado hoje em dia, no qual a luz solar é convertida em eletricidade e armazenada em baterias.

Apesar disso, o principal problema ainda é a taxa de conversão da luz solar em energia. Os sistemas comuns de hoje são capazes de transformar cerca de 15% do potencial solar, enquanto a novidade apresentada pela Universidade utiliza apenas 1%. A expectativa é chegar a uma marca equivalente, antes de pensar em um uso efetivo da nova tecnologia.

Ainda, o próximo passo dos cientistas é aplicar uma ideia semelhante e transformar dióxido de carbono em metanol ou formiato. Basicamente, converter a poluição do ar em combustível, reduzindo o efeito estufa e, ainda por cima, tendo o oxigênio como gás resultante dessa produção.