Nasa testa sistema de pouso preciso que será usado em viagens a Marte

Por Redação | 19.03.2015 às 17:32
photo_camera Caroline Hecke

A Nasa, agência espacial dos Estados Unidos, já iniciou os testes com um sistema de pouso mais preciso que deverá ser utilizado na prática pela primeira vez em futuras viagens a Marte. Realizados pelo Laboratório de Propulsão a Jato (JPL na sigla original), os testes pretendem aprimorar a tecnologia capaz de fazer um foguete não tripulado pousar em um ponto exato previsto pelos cientistas.

As demonstrações, que podem ser conferidas no vídeo abaixo, foram realizadas com um veículo chamado Aparelho de Testes de Voo com Decolagem e Pouso Autônomos (ADAPT na sigla em inglês). Ele foi criado reutilizando um foguete com recursos de lançamento e pouso verticais e realizou dois testes em um local com condições de pouso em alta velocidade e de baixa altitude parecidas com as que devem ser enfrentadas no Planeta Vermelho.

Resultados

Durante os testes, realizados em dezembro de 2014, o foguete chegou 190 metros de altura e então alterou seu curso, dando início ao projeto de descida e se movendo 300 metros de distância a leste para chegar ao ponto exato de pouso.

Tecnologia de ponta

O veículo estava equipado com duas tecnologias de pouso sofisticadas que foram testadas recentemente pela agência espacial: a Terrain Relative Navigation, oferecida pelo sensor chamado Lander Vision System (LVS), e o algorítimo Guidance for Fuel-Optimal Large Diverts (G-FOLD).

A tecnologia que permite ao ADAPT navegar se guiando pelo terreno, oferecida pelo LVS, permite ao foguete determinar sua localização exata sem o uso de um sistema GPS. Enquanto realiza o procedimento de descida, a espaçonave captura uma série de imagens do solo, e essas fotografias são comparadas com as informações armazenadas a bordo para que o veículo compreenda a sua posição exata.

“A espaçonave pode, então, usar esta informação para corrigir o seu curso e chegar o mais perto possível do alvo de pouso dentro de suas capacidades, realizando um pouso suave e preciso”, revela a Nasa.

Já o algorítimo G-FOLD, desenvolvido em parceria entre o JPL e a Universidade do Texas, calcula o caminho ideal que o veículo deve percorrer para realizar o seu pouso, tudo isso em tempo real. Além de tornar o voo mais preciso, a tecnologia também otimiza o uso de combustível, pois calcula a rota com o melhor custo-benefício entre dois pontos.

Sem interferência humana

De acordo com os cientistas envolvidos no projeto, um equipamento que contenha ambas as tecnologias seria capaz de determinar sua localização autonomamente, e então otimizar as definições de voo para realizar a aterrissagem em um ponto específico. “Tudo isso acontece a bordo, sem nenhuma interferência humana, e em tempo real”, garante Nikolas Trawny, cientista dedicado ao ADAPT dentro do JPL.

Via Nasa