NASA descobre primeiro planeta similar à Terra dentro de uma zona habitável

Por Redação | 18 de Abril de 2014 às 16h46

Astrônomos da NASA descobriram o primeiro planeta similar à Terra que estaria na zona habitável de um sistema solar, a área que permite que a água se acumule em estado líquido na superfície de um planeta. A descoberta do Kepler-186f é uma evidência de que existem planetas do tamanho da Terra que se encontram em zonas habitáveis de estrelas além do nosso sistema solar.

Embora outros planejas já haviam sido identificado em zonas habitáveis, todos eles eram maiores do que a Terra, o que dificultava a compreensão de suas propriedades. "A descoberta do Kepler 186f é um passo significativo em direção ao encontro de planetas como a Terra", afirma Paul Hertz, Diretor da Divisão de Astrofísica da NASA.

Apesar do tamanho do Kepler 186f ter sido identificado, sua massa e condições ainda não foram. Estudos sugerem que um planeta destas dimensões seja rochoso. "Missões futuras, como a Transiting Exoplanet Survey Satellite (Satélite de Pesquisa de Exoplanetas Transitórios, em tradução livre) e a James Webb Space Telescope, vão descobrir os planetas rochosos mais próximos e determinar as composições e condições atmosféricas deles, dando continuidade à busca humana por mundos como a Terra", complementa Paul.

O planeta descoberto se encontra no sistema Kepler 186, localizado aproximadamente a 500 anos-luz da Terra na constelação de Cisne. O sistema ainda abriga quatro outros planetas que orbitam uma estrela-anã com metade do tamanho e massa do Sol.

O Kepler 186f demora 130 dias para dar uma volta completa na estrela e, por estar na parte mais externa da zona habitável, ela recebe um terço da radiação da estrela, o que faz com que, ao meio dia, ela tenha a mesma iluminação do nosso fim de tarde.

Kepler

Fonte: NASA

"Estar dentro da zona habitável não significa que sabemos que seja habitável. A temperatura do planeta depende muito do tipo de atmosfera que ele tem", explica Thomas Barclay, pesquisador do Bay Area Enviromental Research Institute e coautor do artigo. "Kepler 186 pode ser mais um primo da Terra do que um irmão gêmeo", acrescenta.

Os outros planetas, Kepler-186b, Kepler-186c, Kepler-186d, e Kepler-186e, orbitam em torno da estrela a cada quatro, sete, 13 e 22 dias respectivamente, o que as torna muito quentes para a proliferação da vida como sabemos.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.