Desvendar a Matéria escura: próximo passo dos astrônomos e físicos

Por Ultra Downloads | 11.07.2012 às 13:30

Um grupo de astrônomos conseguiu, na Universidade de Munique, detectar e observar a matéria escura. Tal feito é inédito em toda a história da astronomia, e com isso foi revelada a substância que, ao que tudo indica, originou toda a estrutura do Universo. Os achados foram publicados na revista Nature, mas, com a descoberta da partícula que pode ser o Bóson de Higgs, tal descoberta acabou caindo em desfoque.

O que é matéria escura?

Segundo Fritz Zwicky, em 1993, a quantidade de matéria que nossos telescópios conseguiam enxergar não condizia com o comportamento do Universo; isso sugeriu que existia algo a mais, responsável por mais de 80% de toda a matéria existente, mas que não podia ser visto aqui da Terra. Assim, surgiu a nomenclatura "matéria escura" para esta matéria até então "invisível" aos nossos telescópios.

A descoberta

Segundo os astrônomos, a matéria escura pode fornecer a gravidade que une as galáxias no espaço sideral, justificando o campo gravitacional existente entre os corpos celestes.

O chefe de pesquisa Jorg Dietrich e sua equipe observaram interseções em filamentos de estruturas em aglomerados de galáxias, que eram considerados invisíveis até então, uma vez que não são estruturas densas. Tal filamento possui uma enorme ramificação de matéria escura e está em nossa linha de visão por ser perpendicular à Terra.

A equipe utilizou dados da nave XMM-Newton, telescópio de raio-X da Agência Espacial Europeia (ESA). Graças a uma técnica de análise computadorizada, as informações foram processadas, revelando assim o formato do filamento e a matéria escura.

A matéria escura conecta Abell 222 e Abell 223, duas galáxias localizadas a 2,7 bilhões de anos-luz da Terra, na constelação de Cetus.