Mascar chiclete pode melhorar a atenção em 10%, diz pesquisa japonesa

Por Redação | 08.02.2013 às 06:45
photo_camera Reprodução

A goma de mascar é mais um dos hábitos que gera discussões sem fim na comunidade médica. Mas uma nova pesquisa do Instituto Nacional de Ciências Radiológicas do Japão, publicada na revista Brain & Cognition, sugere que o hábito pode ser positivo para o cérebro e que pessoas que mascam chicletes têm reações 10% mais rápidas que os outros.

O estudo liga o ato de mascar chiclete a um aumento de excitação em até oito áreas diferentes do cérebro, o que levaria a um melhor fluxo de sangue temporário no órgão.

Para chegar ao resultado, os pesquisadores dividiram os voluntários em grupos mascando ou não chicletes. Enquanto suas atividades cerebrais eram medidas, os voluntários apertaram botões com o polegar direito ou esquerdo por 30 minutos, conforme o que lhes era indicado em uma tela.

Ao final do experimento foi constatado que mulheres e homens que não mascavam chicletes demoraram 545 milisegundos para reagir aos estímulos, contra 493 milisegundos daqueles que mascavam. Os pesquisadores observaram também que as regiões mais ativas entre aqueles com chiclete eram aquelas ligadas à movimentação e atenção.

"Nossos resultados sugerem que mascar chiclete aumenta a excitação e o nível de alerta [do cérebro] e ainda possui um efeito na capacidade motora, como consequência esses efeitos levam a uma melhora na performance cognitiva", afirmou um dos pesquisadores do estudo.