Garota pede que cientistas criem dragão e recebe um; feito na impressora 3D

Por Redação | 11.01.2014 às 14:00

A pequena australiana Sophie Lester, de 7 anos, tinha apenas um sonho: ter um dragão. Por isso, pediu que cientistas da CSIRO, Agência Nacional de Ciência da Austrália, criassem um.

A carta foi divulgada no início da semana pela própria agência, que ficou surpresa com o pedido inusitado. "Meu nome é Sophie e eu tenho 7 anos. Meu pai me falou sobre os cientistas da CSIRO. Seria possível vocês fazerem um dragão para mim?", dizia o texto.

A garota ainda disse os nomes que daria para o "bichinho de estimação" e quais atividades faria com ele. "Eu o chamaria de Banguela se fosse menina e se fosse menino chamaria de Stuart. Eu o colocaria na minha área especial de grama verde onde há muito espaço. Eu daria a ele peixe cru e colocaria uma coleira nele. Se ele se machucasse eu faria um curativo. Eu brincaria com ele todo fim de semana, quando não vou à escola".

Dragão feito em impressora 3D - Carta

Sensibilizados, os pesquisadores resolveram responder para Sophie em seu site, dizendo que a agência está muito orgulhosa de suas conquistas ao longo de 87 anos de história, porém, infelizmente, sem dragões. Desta forma, a CSIRO pediu desculpas.

Contudo, nesta sexta-feira (10), a agência voltou atrás e resolveu fazer um dragão para a menina. Impresso em uma impressora 3D. Assim, nasceu Banguela, uma dragão fêmea azul, impressa em titânio. "Titânio é super forte e leve, então Banguela será uma ótima voadora", dizia a agência em nova postagem.

A mãe de Sophie, Melissah, disse à CSIRO que a garota ficou muito feliz e com vontade de trabalhar na agência. "Todos os seus amigos estão dizendo agora que eles querem ser cientistas e Sophie diz que quer trabalhar na CSIRO. Ela está dizendo que cientistas australianos podem fazer qualquer coisa", concluiu.