Cientistas utilizam flashes de luz para quebrar hábitos: seria o fim dos vícios?

Por Redação | 05 de Novembro de 2012 às 06h35

De todos os avanços na ciência e na tecnologia, os trabalhos que desbravam o interior do cérebro humano ainda continuam sendo um mistério, principalmente quando o assunto é hábitos e vícios. Mas uma nova pesquisa conduzida no MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) trouxe uma nova abordagem sobre como podemos ser capazes de controlar, diretamente, nossos hábitos com simples flashes e clarões de luz.

O experimento utilizou um labirinto em forma de T e um grupo de ratos de laboratório. O ambiente foi projetado para quebrar os hábitos aprendidos pelos animais utilizando uma técnica chamada optogenética. Ao adicionar uma proteína sensível à luz no cérebro destes ratos e depois projetando feixes luminosos de determinadas cores aos olhos dos animais, os cientistas conseguiram desligar alguns dos neurônios associados ao hábito ou comportamento em questão.

Os pesquisadores ainda não chegaram a afirmar que este método pode acender a luz da esperança para a cura a vícios como as drogas, mas a precisão dos efeitos da experiência nas cobaias foi tão imediata e eficiente que fica difícil acreditar que a optogenética não fará o efeito desejado no tratamento de vícios em humanos.

Um dos cientistas envolvidos no estudo disse que "o cérebro é extremamente surpreendente, e nós estamos, provavelmente, apenas arranhando a superfície de como ele controla algo tão complexo como os hábitos".

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.