Brasileiro cria caneta capaz de identificar assinaturas falsas

Por Redação | 20.05.2014 às 13:26 - atualizado em 21.05.2014 às 03:25

Em São Paulo, um pesquisador da USP está desenvolvendo uma caneta que tem a capacidade de reconhecer se uma assinatura é verdadeira. O protótipo utiliza um microfone inserido dentro da caneta que está conectada a um computador.

Ao escrever, os sons produzidos e a velocidade com que a pessoa está escrevendo são enviados ao sistema central do computador que guarda as informações em um banco de dados no formato .wav, formato padrão para armazenamento de áudio. Porém, para que os dados sejam guardados de forma precisa, é necessário que a pessoa repita a assinatura pelo menos 4 vezes utilizando o equipamento.

Assim, se alguma outra pessoa tentar imitar a assinatura, a cópia certamente será escrita de forma diferente, mais rápido ou mais devagar do que a pessoa verdadeira escreveu. O sistema então compara as informações e identifica que se trata de uma falsificação. “Se a pessoa assinar muito devagar o sinal será fraco, mas se assinar mais rápido terá uma assinatura mais característica e assim o sistema conseguirá diferenciar melhor”, explicou o autor do projeto João Paulo Lemos Escola, em entrevista ao G1.

Os cartórios, que trabalham diretamente com a assinatura de documentos, e o comércio, que recebe muitos cheques, podem ser os principais beneficiados pela novidade. Eles são alvos diários de falsificações e o uso do protótipo já garante 90% de acertos, o que certamente diminuiria bastante os prejuízos causados.