5 robôs prontos para substituir humanos em campos de batalha

Por Redação | 11.09.2012 às 15:00 - atualizado em 11.09.2012 às 21:38

A tecnologia está do nosso lado. Já estão em prova os robôs inovadores que foram desenvolvidos para lutar em campos de batalha e aguentar o tranco de uma guerra. Além de terem sido projetados para lidar bem com explosões e bombas, os robôs possuem sistemas de armamento que serão um páreo duro para aeronaves bélicas e veículos terrestres. Conheça cinco exemplares:

1. Cheetah

O Cheetah é um robô de quatro patas que consegue galopar a 29 milhas por hora, o que significa um recorde de velocidade para robôs com pernas. O recorde anterior era de um robô construído em 1989, no MIT, que alcançava as 21 milhas por hora.

O desenvolvimento deste leopardo mecânico foi financiado pelo programa de Máxima Mobilidade e Manipulação da DARPA. O robô conta com costas articuladas que flexionam para frente e para trás a cada passo, aumentando seus passos e velocidade durante a corrida, assim como acontece com os leopardos de verdade. A versão atual do robô corre em uma esteira de alta velocidade no laboratório de testes, onde ele é alimentado por uma bomba hidráulica e utiliza um dispositivo para mantê-lo funcionando no centro da esteira.

2. RHex

O RHex é um robô de seis pernas com alta mobilidade. Suas "patas" são poderosas e controladas de maneira independente para produzir um andar especializado, capaz de escavar terrenos acidentados com intervenção mínima do operador. O RHex sobe em estruturas rochosas, anda na lama, na areia, na vegetação, sobre trilhos de trem e ainda escala postes e escadas.

O corpo do robô é impermeável e hermeticamente selado, o que o torna completamente operacional debaixo de chuva, na lama ou em condições pantanosas.

3. AlphaDog LS3

O AlphaDog foi construído para carregar mais de 180 Kg de equipamentos em uma faixa de 32 Km, sem necessidade de reabastecimento. Enquanto estava sendo testado, a Boston Dynamics "ensinou" ao robô dois novos truques: seguir, autonomamente, um líder humano e aceitar comandos de um soldado por meio de um controle semelhante a um joystick.

A Boston Dynamics também reduziu o barulho emitido pela máquina. No futuro, o AlphaDog aprenderá a responder a comandos de voz, para que qualquer soldado envie instruções a ele via radio, em vez de utilizar um controle.

4. Sarcos

Benjamin Stephens faz doutorado em robótica no Instituto de Robótica da Carnegie Mellon University. Sua pesquisa foca no controle de equilíbrio de um robô humanoide e na recuperação de postura de robôs controlados por força.

Stephens está interessado em utilizar controles ótimos em tempo real para seus complexos sistemas robotizados. Utilizando todo seu conhecimento e experiência, ele pretende criar robôs bípedes ou humanoides capazes de operar em ambientes agressivos e incertos, como os campos de guerra.

5. PETMAN

Criado pela Boston Dynamics, o PETMAN não será equipado com mini-armas e lançadores de foguetes. Ao invés disso, ele tentará se aproximar ao máximo da forma humana para realizar movimentos com destreza, para que possa testar a roupa especial dos militares.

Isso mesmo. Os engenheiros estão criando um robô de alto custo para servir de manequim. Mas tudo tem um propósito: os novos uniformes químicos e artefatos utilizados pelos soldados na guerra serão colocados a prova graças ao robô-manequim, que experimentará os possíveis trajes bélicos.